redes
redes

Prevenção

Buscar doenças

Ou realize uma busca direta com o nome que deseja encontrar:

  • R
  • Raiva


    Infecção viral do cérebro que causa irritação e inflamação do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal).

    Causa - voltar ao topo

    Provocada pelo vírus da raiva humana, da família Rhabdoviridae.

    Transmissão - voltar ao topo

    O vírus da raiva está presente na saliva de animais infectados e é transmitido através da mordida ou, às vezes, de uma lambida. Os principais transmissores da doença para os seres humanos são cachorros, gatos, morcegos. guaxinins e raposas.

    Principais sinais e sintomas - voltar ao topo

    O período de incubação varia de 10 dias a mais de um ano. Mas, geralmente, os sintomas começam 30 a 50 dias após a infecção. Os sintomas aparecem mais rápido quando o indivíduo foi mordido na cabeça, no tronco ou sofreu muitas mordidas. Na maioria dos casos, a doença começa com um curto período de depressão mental, agitação, sensação de mal-estar e febre.

    A agitação aumenta até evoluir para uma excitação incontrolável e o paciente produz grande quantidade de saliva. Os espasmos dos músculos da garganta e do aparelho vocal são causados pela irritabilidade da área do cérebro responsável pela deglutição e pela respiração. Eles podem ser extremamente dolorosos e desencadeados pela tentativa de beber água ou até por uma brisa leve. Conseqüentemente, o enfermo não consegue beber água. Por isso, a doença é chamada algumas vezes de hidrofobia (medo da água).

    Depois que os sintomas aparecem, a doença é fatal.

    Prevenção - voltar ao topo

    O tratamento imediato das feridas produzidas pela mordida do animal é a melhor medida de prevenção. A área contaminada deve ser minuciosamente limpa com água e sabão. Depois, deve-se procurar imediatamente um hospital para aplicação de vacina ou soro anti-rábico, de acordo com a indicação do médico. É importante lembrar que as medidas preventivas devem ser imediatas, porque uma vez a doença instalada, não tem cura.

    Tratamento - voltar ao topo

    Não há tratamento específico. O paciente deve ser internado para um tratamento de suporte com objetivo de amenizar o mal-estar e a dor.

    Fonte: Manual Merck e Centro Nacional de Epidemiologia- Ministério da Saúde
    Autor: Mariana Mesquita
    Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico científico do Portal Unimed

Cadastre-se para receber o Boletim Viver Bem.

Arquivo

Veja todas as notícias de Prevenir.

Ver todas

Conheça

Área restrita para colaboradores e cooperados:

Portal Nacional de Saúde - Unimed Brasil | Copyright 2001-2020 Portal Unimed. Todos os direitos reservados. Agência Nacional de Saúde Suplementar