redes
redes

Prevenção

Buscar doenças

Ou realize uma busca direta com o nome que deseja encontrar:

  • A
  • Artrite Reumatóide


    Tudo que acomete as juntas é denominado artrite. A artrite reumatóide é uma das formas mais freqüentes de artrite, que causa inflamação na membrana sinovial, que envolve e protege as articulações e se manifesta por calor, inchaço e dor. A doença afeta articulações ao longo do corpo e pode causar danos nas cartilagens, ossos, tendões e ligamentos das articulações.

    A artrite reumatóide pode afetar homens e mulheres de qualquer idade, com picos de incidência em adultos jovens e mulheres em pré-menopausa. A incidência é maior entre mulheres de 50 a 70 anos de idade, tendo prevalência de 2 a 3 mulheres para 1 homem.


     

    Causa/Fator de Risco - voltar ao topo

    A artrite reumatóide não é transmissível. As causas da doença ainda não são totalmente conhecidas. Porém, sabe-se que o sistema imunológico exerce um importante papel na inflamação e nos danos das articulações. Na artrite reumatóide, o sistema imunológico não funciona corretamente e pode atacar as próprias articulações e alguns órgãos do corpo.

    Os genes exercem importante papel no desenvolvimento da artrite reumatóide. No entanto, os genes que estão relacionados com a artrite reumatóide não são herdados de forma simples ou direta, ou seja, não passam diretamente de pais para filhos. Determinados genes podem permitir que a pessoa tenha uma tendência para um risco aumentado de desenvolver artrite reumatóide. Alguns deles incluem os que controlam as funções do sistema imunológico. Porém, é possível que muitas pessoas que herdam esses genes, nunca desenvolvam a doença.

    Principais sinais e sintomas - voltar ao topo

    A artrite Reumatóide é uma doença inflamatória crônica. O que diferencia a artrite reumatóide dos outros tipos de artrites é a maneira como ela afeta as articulações. Este tipo de artrite acomete os punhos e muitas articulações das mãos, porém geralmente, não afeta as articulações mais próximas das unhas das mãos. As outras articulações que podem ser afetadas incluem aquelas dos cotovelos, ombros, pescoço, quadris, joelhos, tornozelos, pés e as articulações temporomandibulares.

    As articulações das pessoas que sofrem de artrite reumatóide tendem a ser afetadas dos dois lados do corpo.

    Geralmente, no início a dor e a rigidez só se manifestam pela manhã. As mãos ficam duras e doloridas e somente após uma hora voltam ao normal. A partir daí os sintomas desaparecem e voltam a aparecer na manhã seguinte. Isso acontece porque o processo inflamatório está começando a se estabelecer e, durante o repouso a pessoa acumula líquido dentro da articulação. Quando acorda, enquanto não se movimenta o bastante para reduzir a quantidade de líquido dentro da cápsula, a dor não desaparece.

    Em alguns casos a doença pode ser amena, embora haja períodos de surtos agudos, quando ocorre a piora da inflamação nas articulações. Já em outros, a doença é continuamente ativa e piora ou progride com o tempo. Uma em cada dez pessoas com artrite reumatóide poderão ter um único episódio de atividade da doença, seguida de uma longa redução dos sintomas até que eles desapareçam.

    Nas fases agudas, a artrite reumatóide pode provocar perda de apetite, perda de peso, febre baixa, mal-estar, sudorese, moleza, angustia e irritabilidade. Esse quadro pode causar anemia. O paciente com a doença pode desenvolver nódulos reumáticos, que são caroços de tecido que se formam debaixo da pele, geralmente, em áreas do osso que estão expostas à pressão, como por exemplo, em volta do cotovelo, dedos, coluna ou nos pés.

    Caso não seja tratada, a artrite reumatóide pode causar destruição das articulações, o que pode gerar deformidades progressivas com perda funcional, desgastes das juntas, ruptura de tendões, instabilidade da coluna cervical.

    Diagnóstico e Tratamento - voltar ao topo

    O médico confirma a doença a partir do histórico médico e da realização de exames físicos. No histórico, o médico vai procurar pelas características da artrite reumatóide, como inchaços, calor e limitação dos movimentos das articulações ao longo do corpo, caroços debaixo da pele. Além de verificar se o paciente sente cansaço e sensação generalizada de rigidez, principalmente ao acordar.

    A artrite reumatóide não tem cura, mas pode ser controlada. Por isso é extremamente importante começar o tratamento logo no início da doença.

    Existem duas maneiras de tratar a doença: o tratamento farmacológico e o não-farmacológico. No primeiro são usados medicamentos que têm potencial para ajudar a aliviar os sintomas e aqueles com potencial para mudar o curso da doença. Alguns dos medicamentos afetam o sistema imunológico ou têm efeitos colaterais, por isso recomenda-se acompanhamento médico cuidadoso durante o tratamento.

    No tratamento não-farmacológico, são utilizados programas de exercícios que podem contribuir para a prevenção de deformidades e a manutenção da massa muscular, embora eles devam ser iniciados cuidadosamente se o processo inflamatório agudo ainda estiver ativo. Também são utilizados dispositivos, como sapatos ortopédicos, que podem auxiliar nas tarefas diárias. Aparelhos para mobilização podem poupar a articulação em locais específicos de inflamação.

    Prevenção - voltar ao topo

    Alimentação balanceada aliada à prática de exercícios físicos regulares são medidas de prevenção.

    Fonte: Site oficial Dr. Dráuzio Varella, Manual Merck e Sociedade Brasileira de Reumatologia
    Autor: Thaís Vieira e Designer Plabla Vieira
    Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico científico do Portal Unimed

Cadastre-se para receber o Boletim Viver Bem.

Arquivo

Veja todas as notícias de Prevenir.

Ver todas

Conheça

Área restrita para colaboradores e cooperados:

Portal Nacional de Saúde - Unimed Brasil | Copyright 2001-2019 Portal Unimed. Todos os direitos reservados. Agência Nacional de Saúde Suplementar