redes
redes

A adolescência chegou?

Rafaela Fusieger / Designer: Ana Carla Bortoloni

Dicas para fazer com que esse período, geralmente associado a turbulências entre pais e filhos, seja harmônico.

04 Novembro 2016 -
Apesar das percepções negativas que alguns adultos têm sobre a adolescência, essa fase natural dos jovens, que vai dos 12 aos 18 anos, é caracterizada pelo crescimento intenso, não só físico, mas também emocional e intelectual. Os adolescentes estão amadurecendo e começam a emitir com mais frequência suas próprias opiniões e vontades. Para os pais, isso pode dar a impressão de que os filhos estão fortemente se rebelando contra o controle parental. 

Há crianças que iniciam a adolescência apresentando uma mudança dramática no comportamento com os pais, distanciando-se e buscando mostrar independência. Os adolescentes costumam estar cada vez mais próximos às pessoas da mesma idade e tentam constantemente se encaixar em algum grupo. Os colegas, muitas vezes, são eleitos os novos conselheiros para auxiliar na tomada de decisões sobre assuntos do dia a dia. 

Com o passar do tempo esse universo de altos e baixos característicos da adolescência desacelera. Enquanto isso, é possível aplicar algumas atitudes simples que impactam de forma positiva no relacionamento em casa e podem aproximar pais e filhos, mantendo o vínculo de confiança, independentemente das turbulências dessa fase.  



 
Conheça sobre essa fase
Para isso é aconselhável ler livros sobre adolescentes, recordar sobre a própria adolescência, lembrar das lutas contra a acne e o constrangimento a respeito do desenvolvimento do corpo, etc. Os pais que sabem o que está por vir conseguem lidar mais tranquilamente com a adolescência. 
 
 

 
Dialogue cedo e com frequência
Responda as perguntas que o adolescente tem a respeito do funcionamento do corpo humano, tais como as diferenças entre meninos e meninas e de onde vêm os bebês. Mas não o sobrecarregue com muita informação, detenha-se ao que foi perguntado. Se você não sabe o que responder, peça orientação ao pediatra. 
 


Converse com seu filho abertamente 
Os anos da adolescência são frequentemente um tempo de experimentação, e, por vezes, incluem comportamentos de risco. Não evite assuntos sobre sexo, drogas, álcool ou cigarro. Discuta esses temas abertamente, assim é mais provável que o adolescente aja de forma responsável no momento em que ficar exposto a um comportamento de risco. Compartilhe seus valores familiares e fale sobre o que você acredita que é certo e errado, explicando os motivos. 


 
 
Monitore o que os jovens assistem e leem
Atualmente as crianças e adolescentes têm acesso a milhares de informações. Esteja ciente sobre o que seu filho assiste e lê. Não tenha medo em estabelecer limites para a quantidade de tempo gasto em frente aos eletrônicos. Saiba o que ele está aprendendo com os meios de comunicação e com quem ele está se comunicando on-line. 
 

 
 
Compartilhe interesses em comum 
Pratique algum esporte, combine um programa semanal, escolha uma série para começar a acompanhar em conjunto, etc. Há diversos passatempos ótimos para aproveitar o tempo, sem restrição de idade. São formas de aproximar e mostrar que, independente da diferença de idade, é possível construir interesses em comum.
 

Fonte: Kids Health


Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico-científico do Portal Unimed.

Cadastre-se para receber o Boletim Viver Bem.

Arquivo

Veja todas as notícias de Pais e Filhos.

Ver todas
Área restrita para colaboradores e cooperados:

Portal Nacional de Saúde - Unimed Brasil | Copyright 2001-2018 Portal Unimed. Todos os direitos reservados. Agência Nacional de Saúde Suplementar