Para aumentar ou diminuir a visualização do conteúdo, segure a tecla "ctrl" e pressione + ou - no seu teclado.

Segure CTRL, aperte + para aumentar ou - para diminuir o tamanho da letra

Se preferir, use as teclas de atalho (acesskeys) para facilita sua navegação:

  • No Internet Explorer segure "ALT" mais a tecla desejada;
  • Em outros navegadores, segure "ALT + SHIFT" e a tecla correspondente.
Área restrita:

Desenvolvimento da fala

Taise de Queiroz Bertoldi

Dificuldades na fala são comuns nos primeiros anos de vida da criança, mas devem ser observadas quanto à resolução espontânea

25 Agosto 2010 - As primeiras palavras pronunciadas de forma errada por crianças costumam ser vistas com graça e admiração por adultos. Falar palavras de maneira equivocada, como “amalelo”, é corriqueiro e normal até certa idade. Mesmo sendo bonitinhos no começo, os erros desse tipo precisam ser observados se evoluem de modo favorável ou não.

O desenvolvimento da fala geralmente ocorre da seguinte forma:
• Com um ano de idade, a criança fala aproximadamente três a cinco palavras.
• Com um ano e meio, cerca de vinte palavras já fazem parte do vocabulário dos pequenos.
• Entre um ano e meio e dois anos, o vocabulário chega próximo de 50 palavras e já há a construção de frases simples.
•Aos três anos, cerca de metade do que as crianças falam é pronunciado sem erro. Nessa faixa etária, elas já contam histórias e acontecimentos.
• Com quatro anos, praticamente todos os sons são pronunciados corretamente, podendo haver dificuldade em apenas alguns fonemas mais complicados.

Dificuldades
As dificuldades na fala devem ser observadas para que não comprometam a comunicação da criança durante a vida escolar. Até os dois anos, no entanto, o atraso da fala não deve ser preocupante. O mais importante nessa idade é verificar se a criança entende o que é dito ou solicitado a ela. Existindo essa compreensão por parte da criança, é pouco provável que existam problemas mentais e de audição.

A partir dos dois anos, a criança pode apresentar gagueira, porque ela pensa depressa, mas ainda fala devagar, ou seja, um vocabulário maior já está presente, mas o processo de busca da palavra correta e sua articulação ainda não estão maduros. Não se deve corrigi-la, pois é um sintoma normal, que desaparece rapidamente. Caso se prolongue por vários meses, é recomendada a procura por um profissional especializado.
A troca do erre (R) pelo ele (L) também é bastante comum no início do desenvolvimento da fala e normal até aproximadamente os três anos de idade.

Alguns sinais são determinantes no desenvolvimento saudável da linguagem das crianças. Por isso, consulte um pediatra se, aos dois anos, seu filho não imitar sons ou palavras e/ou não usar frases com duas palavras.

Dicas para os pais ajudarem o desenvolvimento da fala dos filhos:

• Converse com eles;
• não ridicularize os erros de linguagem;
• ensine as palavras de forma clara, correta e com paciência;
• não se expresse de maneira infantilizada, pois as crianças costumam repetir o que ouvem;
• fale com clareza o nome do objeto solicitado pelos pequenos.

É importante também que os pais levem suas observações e questionamentos ao pediatra, pois o tempo da consulta pode ser insuficiente para que o profissional consiga observar as alterações na fala. Além disso, algumas crianças ficam tímidas diante do médico e não se expressam verbalmente.

Fonte: Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade (da Sociedade Brasileira de Pediatria), A saúde de nossos filhos/ Publifolha e Departamento de Pediatria do Hospital Israelita Albert Einstein, Revista Saúde (novembro de 2009, nº317).


Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico-científico do Portal Unimed.

Cadastre-se para receber o Boletim Viver Bem.

Arquivo

Veja todas as notícias de Pais e Filhos.

Ver todas
Endereço: Avenida Piraí, 155 - São Cristóvão - Lajeado - RS - CEP: 95.913-148 Brasil
Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo

Política de privacidade Termo de Uso Copyright 2001-2017 Todos os direitos reservados.