Voltar

Os hormônios da felicidade

Os hormônios da felicidade

Quais são esses famosos hormônios responsáveis por sua alegria e sensação de bem-estar e como eles podem ser liberados

Os hormônios da felicidade

13 Maio 2019

Sabe aquela sensação gostosa de estar apaixonado, que até te deixa sem apetite? Você só quer ver e ouvir a voz da pessoa amada e não vê a hora de o próximo encontro chegar? Pois é, quando se está apaixonado, você libera quatro hormônios na corrente sanguínea que garantem essa sensação prazerosa.

É uma sensação parecida com a que você sente depois de fazer uma caminhada ou corrida e ainda quando recebe uma promoção. São várias as possibilidades de prazer geradas pelos hormônios mais conhecidos como o quarteto da felicidade: endorfina, dopamina, serotonina e ocitocina.

Esses hormônios estão sempre ativos no nosso organismo. Se eles se desequilibram, o corpo pode reagir com insônia, estresse, ganho de peso e, é claro, mau humor. Também podem levar à desmotivação e à tendência a adiar tarefas e compromissos, e em casos graves de baixa desses neurotransmissores, as pessoas podem até desenvolver depressão.

Na prática, manter uma alimentação saudável é essencial para o bem-estar e ajuda na liberação desses neurotransmissores na corrente sanguínea. Mas não somente isso. Praticar atividade física com regularidade, ter momentos de prazer em família e amigos, dormir bem e meditar, também são capazes de auxiliar a manter em alta os níveis desses hormônios. Afinal, são esses momentos de prazer e relaxamento que nos levam a ter uma boa qualidade de vida.

 

Quarteto da felicidade

Cada um desses hormônios tem suas características, mas juntos eles formam o quarteto da felicidade. Confira as suas principais características:

É o neurotransmissor principal na regulação dos processos motivacionais. Ele nos impulsiona a alcançar os objetivos.

É o neurotransmissor responsável por promover sensação de prazer e bem-estar. A ausência dessa substância no cérebro pode causar de mau humor a depressão.

É liberada no organismo como um analgésico diante das situações de dificuldades, como dor e estresse, com o objetivo de amenizá-los.

É conhecida por ser responsável por promover sensação de confiança, auxiliando na criação de laços nos relacionamentos de modo geral. É produzido no parto, na amamentação e durante o orgasmo.

 

 

Alimentos que deixam o humor nas alturas

Quem possui hábitos alimentares saudáveis sofre menos com estresse, depressão e ansiedade. E alguns alimentos têm a capacidade de liberar essa sensação de bem-estar. Saiba quais são e por que não podem faltar no seu cardápio:

 

Proteínas: carnes, ovos, leites e derivados possuem grandes quantidades de triptofano, um aminoácido que atua na formação da serotonina.

Aveia: os carboidratos também presentes no alimento elevam os níveis de insulina e facilitam a absorção de triptofano. Por isso, dietas que cortam carboidratos costumam deixar as pessoas mal-humoradas.

Banana: além de ser fonte de carboidratos que estimulam a produção de serotonina, contém vitamina B6, importante na prevenção da ansiedade e irritação.

Vegetais com folhas escuras: fonte de potássio e ácido fólico, que ajudam nos quadros de depressão. A ausência desses elementos pode causar cansaço, insônia, fraqueza e apatia.

Oleaginosas: Alimentos como nozes, castanhas e amêndoas são fontes dos minerais magnésio, cobre e selênio, que melhoram o humor e são antidepressivos naturais.

Peixes e frutos do mar: salmão e sardinha são fontes de ômega 3, um ácido graxo que aumenta a produção dos receptores de neurotransmissores. O selênio e a vitamina B12 ainda ajudam a combater a ansiedade e o cansaço.

Laranja: rica em vitamina C e cálcio, reduz a quantidade de hormônios que indicam o estresse físico e emocional.

Chocolate: a versão amarga (que possui pelo menos 70% de cacau na composição) é fonte de triptofano e ainda possui teobromina, um alcaloide da família da cafeína que tem efeito estimulante. O magnésio ainda é eficiente para reduzir os indesejados sintomas da TPM.

 

 


Texto: Fabiana Gonçalves | Edição: Thaís Guimarães de Lima | Design: Alex Mendes e Fernanda Assato

Fonte: Hospital Sírio Libanês e Hospital Israelita Albert Einstein

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (11 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em