Voltar

Hospital Unimed Gov. Valadares vacina seus colaboradores e cooperados contra o sarampo

Hospital Unimed Gov. Valadares vacina seus colaboradores e cooperados contra o sarampo

Hospital Unimed Gov. Valadares vacina seus colaboradores e cooperados contra o sarampo

28 Agosto 2019

Prevenir e imunizar os profissionais de saúde, médicos cooperados, terceirizados e demais colaboradores contra o sarampo. Foi o propósito da "Campanha de vacinação contra o sarampo do Hospital Unimed", realizada de 20 a 23 de agosto. A vacinação aconteceu no 5o andar do Hospital Unimed.

Com o cartão de vacinação em mãos os profissionais da Cooperativa também receberam doses da vacina tríplice viral (além do sarampo, caxumba e rubéola) e vacina dTpa (difteria, tétano e coqueluche). As doses foram aplicadas pelo Setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), com o objetivo de manter a cobertura vacinal contra o sarampo em Governador Valadares. Receberam a dose da vacina dTpa 396 profissionais. A dose da tríplice viral foi aplicada em 306 pessoas.

A vacinação aos profissionais e colaboradores de saúde do Hospital Unimed é importante pelo contato direto com os pacientes, onde podem ficar mais expostos ao vírus. A medida mais eficaz de proteção contra o sarampo é a vacina. A Auxiliar Administrativo do Hospital Unimed, Nayara A. Soares, justifica que ficar imunizada contra a doença é também uma maneira de cuidar de vidas. "Considero de suma importância a campanha contra sarampo dentro do Hospital Unimed Governador Valadares. A todo momento estamos cuidando de vidas e para proporcionar um bem estar temos que está bem preparados e imunizados", disse.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Recomendação

Diante da ocorrência de casos de sarampo em diversos locais no Brasil, com surtos da doença em estados vizinhos a Minas Gerais, recomenda-se a vacinação para as crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias que se deslocarão para essas áreas em situação de surto ativo (São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Sergipe, Santa Catarina, Roraima e Amazonas). Essa dose não é considerada válida para o esquema vacinal de rotina, devendo receber novamente a vacina aos 12 e 15 meses.

• Aos 12 meses de idade: a criança deverá receber a primeira dose da vacina tríplice viral.

• Aos 15 meses de idade: a criança deverá receber a segunda dose com a vacina tetraviral (contra o sarampo, a rubéola, a caxumba e a catapora/varicela) ou a vacina tríplice viral e a de varicela monovalente.

• De 2 a 29 anos: caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral, deverão receber duas doses com intervalo de no mínimo 30 dias da primeira dose.

• De 30 a 49 anos: caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral, deverá receber apenas uma dose.

• Profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, dentistas e outros), independentemente da idade, devem ter duas doses válidas da vacina tríplice viral documentadas.


Média (0 Votos)

COMPARTILHAR:


 
 
 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em