Notícias Unimed Costa do Sol


null Não esqueça da sua pele nesse verão

Não esqueça da sua pele nesse verão

Texto: Setor de Comunicação e Marketing | Fonte: USP e Sociedade Brasileira de Dermatologia
        22 de dezembro, 2015

Verão, praia, sol e pele bronzeada. Eis uma combinação irresistível para as férias. Irresistível para você e para sua pele, que nesse período do ano costuma ficar exposta ao sol por muito mais tempo que o habitual, principalmente se você é daquelas pessoas que aproveitam o calor para ficar “com a cor do verão”. O maior problema, nesse caso, é que esse padrão de beleza pode levar a uma exposição excessiva e inadequada à radiação solar, que pode trazer sérios danos à pele, o mais grave deles, o câncer de pele.

O risco de contrair câncer de pele é maior do que muita gente pensa. São estimados 188.020 novos casos no Brasil em 2014, segundo estatísticas do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Em comparação com 2013, os dados mostram que houve uma redução do número de casos de melanoma, o mais letal e agressivo dos tumores cutâneos. Na época, foram diagnosticados 6.230 novos casos.

Existem basicamente três tipos de câncer de pele. O mais comum deles é o carcinoma basocelular, que costuma aparecer em áreas do corpo mais expostas ao sol, como o rosto. Apesar de não levar o indivíduo à morte, ele é uma ferida crescente e mutilante, ou seja, se o machucado se desenvolver na orelha, ele pode destruir o local. O carcinoma espinocelular é um pouco mais perigoso, levando ao óbito apenas em casos mais avançados. O terceiro e mais grave tipo de câncer de pele é o melanoma maligno, que pode levar o indivíduo à morte. “O melanoma costuma aparecer como uma pinta escura e irregular, e pode apresentar diferentes cores dentro da mesma mancha”, afirma a dermatologista Ane Beatriz Nina, que atuou com dr. Pimentel durante a campanha no HC.

O tipo da pele também influencia no aparecimento do câncer. A regra é mais ou menos a seguinte, quanto mais clara é a pele, maior é a chance de desenvolver o tumor e maior deve ser a proteção à radiação solar. Usar chapéus, bonés e camisetas é uma boa maneira de se proteger, mas um outro item que não pode faltar na sacola é o filtro solar. A dúvida é saber qual fator é o mais adequado para sua pele. Para pessoas com a pele morena, o fator 15 é suficiente; já aquelas com pele e olhos claros, cabelo loiro ou sardas no rosto, o fator indicado deve estar entre 20 e 30. A frequência da aplicação deve ser constante, não adianta nada usar o filtro solar apenas uma vez.