Notícias Unimed Sul Capixaba


https://www.unimed.coop.br/site/o/sites-theme/images/cards-noticias/noticias-padrao.png

Hospital Unimed Sul completa um ano com tecnologia inédita para a saúde e dedicação no enfrentamento da Covid-19

Uso de inteligência artificial na assistência à saúde está entre as prioridades da unidade em 2021
        30 de março, 2021

Nesta terça-feira, 30, o Hospital Unimed em Cachoeiro de Itapemirim completa um ano de funcionamento. Inaugurado exatamente no início da pandemia de Covid-19 no País, a unidade mantém uma das estruturas tecnológicas mais completas do Estado, oferecendo um atendimento eficaz e seguro aos clientes e reforçando o enfrentamento da Covid-19 na região sul capixaba. 

Desde que entrou em operação, a unidade registrou cerca de 24.300 atendimentos, entre consultas, exames, procedimentos, cirurgias e internações. O número de cirurgias foi próximo a 11.3 mil e o total de internações chegou a 5.360 aproximadamente. 

“Somos a única operadora de saúde com hospital próprio na região. Neste primeiro ano, buscamos somar aos esforços de toda rede de saúde no enfrentamento da Covid-19 e, ao mesmo tempo, manter nossos investimentos, visando melhorias na qualidade e na segurança do atendimento ao cliente”, explica o diretor-presidente da Unimed Sul Capixaba, Leandro Baptista. 

O atendimento completo em saúde, com Unimed Diagnóstico, Oncologia, Coração e Laboratório, além de 129 leitos, sendo 30 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), está entre os grandes diferenciais da unidade, pois possibilita ao cliente receber atendimento na própria região, sem a necessidade de deslocamentos aos grandes centros em busca de assistência. 

Dentre as novidades previstas para 2021, segundo Leandro Baptista, está a Robô Laura, uma iniciativa ainda inédita no Estado. Por meio de inteligência artificial, a robô monitora e identifica os pacientes com maior trajetória de risco, sendo capaz de antecipar em até 12 horas o alerta de risco clínico do paciente, permitindo a intervenção precoce da equipe assistencial. 

Outro investimento do hospital será a Concierge Digital Isa, uma assistente virtual para assessorar os clientes internados nos quartos e oferecer uma experiência personalizada de atendimento, oferecendo acesso a serviços como boletim médico, orientações, escolha do cardápio e atendimento por chat. 

“Essas novas tecnologias chegam para somar à nossa estrutura, que já dispõe dos equipamentos mais modernos disponíveis no mercado, como ressonância magnética, tomógrafo computadorizado de corpo inteiro, mamógrafo digital 3D e outros. O futuro no setor de saúde está diretamente relacionado à incorporação de novas tecnologias e é este caminho que estamos percorrendo no Hospital Unimed, de modo a oferecer uma atenção integral à saúde de nossos clientes”, completa o diretor-presidente.

Assistência de excelência na pandemia 

Os últimos oito meses da vida do comerciante Carlos Roberto da Silva, de 71 anos, foram em um leito do Hospital Unimed, em Cachoeiro de Itapemirim. A alta veio no último dia 18 de março, após ter sido internado por complicações causadas pela Covid-19 e ter 70% do pulmão comprometido. No geral, foram 15 dias de internação na UTI Covid, sete meses na UTI Geral e 30 dias de internação no quarto. 

Assim como ocorreu com Carlos Roberto da Silva, a Unimed Sul registrou cerca de 1.580 altas de Covid-19 e uma das menores taxas de óbitos do Espírito Santo de março de 2020 a março 2021. De acordo com o diretor de Recursos Próprios da cooperativa, Gediel Teixeira Xavier, a inauguração do hospital, que recebe os casos mais graves da doença, e o planejamento realizado, com a implantação do Ambulatório de Síndrome Gripal, na unidade do Centro, que faz o atendimento de casos suspeitos de Covid-19, foram determinantes para o bom gerenciamento dos atendimentos durante a pandemia.

 “Essa gestão permite que a gente trabalhe nossa estrutura com eficiência, fazendo a abertura de novas vagas de internação conforme o cenário da pandemia e também dê continuidade aos atendimentos de outras enfermidades de maneira segura,  mantendo ainda um ambiente de trabalho adequado para as equipes assistenciais”, afirma Gediel. 

Para a esposa do comerciante Carlos Roberto da Silva, Lucimar Fernandes de Souza, de 57 anos, a estrutura do hospital e a assistência prestada durante todo o período ao paciente foi essencial para a sua recuperação. “Pegamos a doença juntos e estávamos fazendo a quarentena em casa. Só que o quadro dele evoluiu. Meu marido foi muito bem assistido, tratado com carinho pela equipe médica e pela equipe de Enfermagem. Esse acolhimento foi essencial para a sua recuperação, não tenho dúvidas. Ter ele de volta é algo inexplicável e igualmente mágico. Eu só tenho a agradecer”, afirma.

Confira as nossas redes socias

Facebook
 

Instagram