Voltar

A chegada de um irmãozinho

A chegada de um irmãozinho

Como preparar a criança para que ela receba bem o nascimento do irmão mais novo e reaja positivamente às mudanças no ambiente familiar

A chegada de um irmãozinho

21 Janeiro 2019

A notícia da chegada de um novo filho sempre traz momentos de euforia e satisfação, afinal, a família vai aumentar. Por outro lado, pode vir acompanhada também de insegurança dos pais, por não saber se conseguirão dar a ambos os filhos a mesma atenção que merecem. Embora seja de conhecimento dos pais que o caçula requererá muito mais de atenção e cuidados, como isso será visto e recebido pelo filho mais velho também pode gerar muitas dúvidas.

De acordo com os especialistas, o primeiro passo após a confirmação da gravidez — de preferência a partir do segundo trimestre, quando os riscos de uma perda gestacional diminuem — é contar ao filho mais velho que ele ganhará um irmãozinho ou irmãzinha. É claro que crianças de diferentes idades poderão reagir de maneiras distintas à chegada de um novo bebê. Porém, o mais importante para que se sintam seguras é deixá-las fazer parte de toda essa transformação que a família sofrerá desde o início. Afinal, para elas, a chegada de mais alguém pode fazer com que se sintam vulneráveis e sem a atenção, o amor e o carinho que até então eram todos destinados a elas.

Para prevenir esses sentimentos negativos, separamos algumas dicas para cada faixa etária e que vão auxiliar a lidar com essas mudanças na família de maneira mais fácil.

 

De 1 a 2 anos

Embora a criança dessa faixa etária possa não entender muito bem o que significa ter um novo irmão ou irmã, é importante falar disso para ela de maneira empolgada, para que sua atitude deixe-a animada também. Faça-a participar de tudo, e a criança vai se familiarizar com a ideia de que tem alguém a caminho e que vai compartilhar com ela os mesmos ambientes da casa.

- Leve para a maternidade um presente para dar ao filho mais velho. Ele sentirá que a mamãe ganhou um presente, e ele também.

- Após o nascimento começa a fase mais difícil, porque haverá a necessidade de cuidar de duas crianças com necessidades parecidas ao mesmo tempo. Peça ajuda de familiares, porque a atenção terá de ser dividida e o filho mais velho pode não entender muito bem o porquê de os seus pais não estarem à sua disposição como antes.

- Mesmo em meio a tantas mudanças no início de adaptação, faça alguma coisa especial com o filho mais velho. Pode ser um passeio, como leva-lo à casa dos avós. Ele se sentirá feliz e importante.

 

De 2 a 4 anos

Essa fase é vista pelos especialistas como a mais difícil, pois seu filho ainda está muito ligado a você e não entenderá como poderá compartilhá-lo com outros. De acordo com a Academia Americana de Pediatria, a criança nessa idade também poderá se sentir ameaçada pela ideia de um novo membro da família.

- Não deixe que ele descubra pelos outros sobre a gravidez e, conforme a barriga for crescendo, mostre que o mesmo aconteceu quando ele estava para nascer.

- Ler, para ele, histórias que contenham imagens e personagens de bebês e irmãos também pode ajudá-lo a se familiarizar com a ideia da família maior.

- Seja honesto com ele. Diga que o bebê será fofinho, lindinho como ele era, mas que também chorará quando tiver com fome, feito cocô ou xixi, e que isso lhe tomará tempo.

- Envolva-o nos preparativos para a chegada do caçula com antecedência. Deixe-o participar da compra do enxoval, peça a sua ajuda na escolha das roupas e acessórios.

- Não deixe para fazer mudanças cruciais, como colocá-lo na escola, mudá-lo do berço para a cama ou até mesmo iniciar o desfralde, próximo do nascimento do bebê.

- Quando for para a maternidade, compre para o seu seu filho (menino ou menina) uma boneca para que ele possa cuidar de "seu" bebê também, como você.

- É natural que o filho mais velho mude de comportamento e até regrida um pouco após o nascimento do irmão. Voltar a fazer xixi na cama, querer a chupeta ou até pedir a mamadeira são exemplos bastante comuns. Ele também pode ficar agressivo, chorar por qualquer motivo. Não o repreenda, pois isso tudo é normal. Essa pode ser a forma que o filho mais velho encontrou de chamar a atenção e assim garantir que tenha o seu amor.

- Reserve um tempo juntos. Brinquem, joguem, saiam para passear a sós.

 

Criança em idade escolar

Crianças com mais de 5 anos geralmente não se sentem tão ameaçadas por um novo bebê como as mais novas. No entanto, elas podem ressentir a atenção que o novo bebê recebe.

- Prepare seu filho para a chegada de um novo bebê. Diga a ele o que está acontecendo na linguagem que ele consiga entender. Explique o que significa ter um novo bebê e quais mudanças podem afetá-lo — tanto as que são boas quanto as nem tanto. 

- Coloque o filho mais velho para participar do planejamento da chegada do novo bebê, ajudando a preparar o quarto, escolhendo roupa, brinquedos ou comprando fraldas.

- Peça à família que o leve ao hospital logo após o nascimento do caçula, para que ele se sinta parte da família.

- Quando trouxer o bebê para casa, deixe que seu filho mais velho sinta-se à vontade para cuidar do bebê, se ele quiser. Elogie toda vez que for amoroso e gentil com o irmão, fazendo-o se sentir importante.

- Faça um esforço para passar algum tempo com ele. Crie oportunidades, seja na hora das refeições, ao levar ou buscar na escola, para auxiliar a fazer a lição de casa ou mesmo para assistir a um desenho na TV. Os especialistas afirmam que a criança nessa fase precisa do incentivo — e da chance que os pais têm para lembrá-la do quão especial ela é.


Texto: Fabiana Gonçalves | Edição: Thaís Guimarães de Lima | Design: Alex Mendes

Fonte: American Academy of Pediatrics e Ministério da Saúde

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (5 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em