Voltar

Diabetes

Diabetes

Doença já atinge 14 milhões de brasileiros. Saiba como evitar o diabetes e como usar a alimentação e a atividade física no controle da doença

Diabetes

3 Janeiro 2018

De acordo com o Atlas da Federação Internacional de Diabetes (IDF), o Brasil tem 14 milhões de pessoas com a doença. O diabetes ocorre quando o pâncreas deixa de produzir o hormônio insulina ou quando há uma resistência das células do organismo para a utilização da insulina. Como resultado, as taxas de glicose no sangue ficam elevadas (hiperglicemia), podendo provocar problemas bastante graves à saúde.

 

Os altos níveis de glicose no sangue elevam o risco de doenças que afetam o coração, vasos sanguíneos, olhos, nervos e rins. Pessoas com diabetes também têm mais risco em desenvolver infecções e doenças cardiovasculares.

 

Os tipos mais comuns de diabetes são:

 

 

Diabetes tipo 1: fatores genéticos e ambientais são os responsáveis por este grave tipo de diabetes, no qual há deficiência de insulina que se segue à destruição das células do pâncreas que produzem este hormônio; mais de 2/3 dos casos aparecem antes dos 19 anos de idade.

 

 

Diabetes tipo 2: surge quando o organismo não produz insulina suficiente ou quando as células do organismo respondem mal à ação da insulina. Ocorre em cerca de 90% dos casos e, geralmente, está relacionado à obesidade ou sobrepeso.

 

 

Diabetes Gestacional: pode surgir durante a gravidez devido à resistência das células à insulina, aumentando o nível de glicose sanguínea (glicemia).

 

 

 

 

Os fatores de risco relacionados ao diabetes tipo 2 são:

• Sobrepeso ou obesidade

• História familiar de diabetes

• Sedentarismo (falta de exercícios físicos)

• Tabagismo

• Escassez de horas de sono

• Hábitos alimentares inadequados 

• História pessoal de diabetes gestacional

• Alguns medicamentos que dificultam a ação da insulina

• Doenças cardiovasculares

• Síndrome dos ovários policísticos

 

Sintomas:

Os sintomas mais comuns relacionados ao diabetes são vontade frequente de urinar, fome, sede excessiva e perda de peso. No entanto, alguns sintomas podem ser específicos para cada tipo de diabetes. No tipo 1, há alterações de humor, náusea, fadiga e fraqueza. Já o tipo 2 pode não apresentar sintomas iniciais, sendo diagnosticado apenas após infecções frequentes, demora na cicatrização, alterações na visão, formigamento nos pés. No caso do diabetes gestacional, o diagnóstico é buscado pelo médico nas mulheres grávidas, mesmo as assintomáticas (rastreamento da doença), nas consultas de pré-natal, ou pela manifestação de sinais e sintomas pela gestante.

 

 

Dicas:

Melhorar o padrão alimentar e manter uma rotina de exercícios físicos são atitudes importantes que ajudam a evitar o aparecimento da doença e a controlá-la quando já presente, diminuindo o risco de complicações como lesões oculares na retina, infecções, hipertensão arterial, doenças neurológicas, lesões nos pés (pé diabético), derrame cerebral (AVC- Acidente vascular Cerebral) e infarto do miocárdio.  

Controlar o consumo de carboidratos como arroz, batata, mandioca, mel, açúcar, pães, frutas, doces, balas, sorvetes e leite.

Fracionar as refeições: fazer mais refeições por dia, cada uma delas menos abundante.

Consumir alimentos como castanhas, azeite de oliva extra virgem e abacate; e incluir fibras na alimentação.

Praticar atividade física: os exercícios físicos ajudam o organismo a usar o açúcar presente no sangue com mais velocidade. Mas consulte o seu médico para que ele indique o tempo, o tipo de atividade e a frequência ideal de acordo com o seu tipo de diabetes.  

 

Leia também: Dez dicas para uma alimentação saudável

 


Texto: Jailde Barreto / Design: Carolina Moura

Fonte: Ministério da Saúde/ Sociedade Brasileira de Diabetes/ Hospital Albert Einstein/ Sociedade Brasileira de Cardiologia/ International Diabetes Federation

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (1 Votar)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em