Voltar

A INCLUSÃO DE FATO

A INCLUSÃO DE FATO

A INCLUSÃO DE FATO

21 Setembro 2018

A Lei Brasileira de Inclusão entrou em vigor em 2016, constituindo-se um grande avanço, ao ratificar a legislação anterior referente a cotas e ao prever que o fiscal do trabalho possa penalizar empresas que desrespeitem as normativas.

Mas, é preciso ir além do que a lei nos obriga. A diversidade não é uma escolha, é um fato. Somos todos diferentes uns dos outros, física e emocionalmente.

Neste Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21 de setembro), quero compartilhar com empresários, gestores e trabalhadores das mais diversas áreas algumas informações e práticas que podem tornar a diversidade e a inclusão como algo possível e transformador.

Recentemente, a Unimed Blumenau trouxe para a cidade a palestrante Carolina Ignarra, formada em educação física, pós-graduada, idealizadora e fundadora da Talento Incluir e cadeirante há 18 anos. Ela compartilhou sua experiência e apresentou um roteiro que ajuda a promover a diversidade nas empresas.

Fazem parte deste roteiro, entender as responsabilidades do RH, engajar a alta liderança e envolver toda a equipe. É necessário ainda desenvolver e apoiar gestores, realizar pesquisas de acompanhamento periódicas, desenvolver e capacitar as pessoas com deficiência, planejar a contratação em todas as oportunidades- não apenas para preencher as cotas -, disseminar informações para toda a empresa e realizar ações documentadas para garantia de continuidade dos processos.

Outro ponto importante e necessário para o processo de inclusão é o ato de transversalizar os temas. Como destacou a palestrante em Blumenau, isso significa, por exemplo, trazer para um evento de vendas, que não está diretamente ligado ao tema de inclusão, um mestre de cerimônias cadeirante. Fazendo isso, aos poucos, a diversidade será algo natural na sociedade e não uma imposição.

Tenho orgulho em fazer parte de uma cooperativa que preza por iniciativas deste tipo, que transforma realidades, e que busca compartilhar esses aprendizados, além de também promover a inclusão por meio do esporte, como é a parceria com o Paradesporto. Com esse meu breve relato, espero poder também incentivar outras empresas a fazerem o mesmo.

Alexandre José Ferreira
Presidente da Unimed Blumenau

Fonte: Jornal de Santa Catarina.