Voltar

prematura

6 Outubro 2021

Nasceu no dia 19 de junho de 2021, na 25ª semana de gestação, com apenas 700 gramas e 30cm. Passou por vários procedimentos e intervenções antes mesmo de completar 1 mês de vida. Mas venceu!

Deixou a pediatria do Hospital Unimed Botucatu Unidade I no dia 29 de setembro, depois de 100 dias sob cuidados intensivos de uma equipe multidisciplinar. Foi nos braços de uma mãe alegre e aliviada, para encontrar a família que a esperava cheia de amor. 

Infraestrutura - Essa história com final feliz só foi possível graças a resiliência de mãe e bebê, mas também da infraestrutura do Hospital I, hoje referência em cuidados materno-infantis para toda a região.

O bebê prematuro de menor peso atendido no Hospital Unimed Botucatu Unidade I contou com o atendimento inicial da ginecologia/obstetrícia e da equipe da maternidade. A bolsa da mãe estourou com 21 semanas – caso conhecido na medicina como bolsa rota. A gestante permaneceu internada por cerca de 1 mês, com esforços para que conseguisse segurar o bebê pelo maior prazo possível. O obstetra Dr. Moisés Mendonça, vice diretor clínico do H1, enfatizou a coesão e capacitação de toda a equipe da maternidade. “Temos um grupo de excelência. Muito unido e coeso nas condutas, de modo que qualquer um dos obstetras do time tem suporte para todo tipo de atendimento, desde os partos naturais até casos que exigem cuidados específicos”, salientou. 

Após o parto, o bebê ficou sob os cuidados da equipe de intensivistas da UTI neonatal e recebeu atendimento multidisciplinar desde seu primeiro dia de vida. Participaram desse grupo cirurgião pediátrico, neonatologistas, nutricionistas e nutrólogo, fisioterapeutas, oftalmologistas, neurologistas ... enfim, tudo com suporte humano e tecnológico da Unidade.

“É seguro dizer que a o Complexo Hospitalar da Unimed Botucatu hoje tem plena capacidade para receber casos especiais, como esse prematuro. Na região é uma referência”, avaliou o Diretor Clinico da Unidade I, Dr. José Fernando Pinheiro da Silva, que também destacou a qualidade da equipe de intensivistas pediátricos, neonatologista e da equipe multidisciplinar do Complexo.

O Diretor anunciou a criação do setor de Cuidados de Terapia Intensiva – CTI, que complementa as UTIs Neonatal e Pediátrica e já está em funcionamento no Hospital I.

Humanização – Avessa a exposição, a mãe concordou em falar sobre o seu caso para ajudar outras pessoas que passam pela mesma situação. “Já tinha ouvido falar em bolsa rota, mas não sabia exatamente de suas consequências. Senti muita falta de referência nesse período. O que me ajudou realmente foram as informações claras e diretas da equipe e do meu médico, desde o início.”

A mãe elogiou a humanização e atenção de toda a equipe e disse que se sente segura para cuidar sozinha de seu bebê em casa, graças as orientações recebidas.

“O bebê está muito bem e precisa de um acompanhamento mais detalhado, em razão da prematuridade. Só isso!”, explicou Dr. Fernando Pinheiro.

“Considero hoje como o dia do nascimento. Agora que estamos indo bem para casa”, festejou a mãe.

Dr. Fernando Pinheiro, Diretor Clínico do H1

 

Solange Serafim