Voltar

Mau hálito e aftas no bebê? Pode ser estomatite

Mau hálito e aftas no bebê? Pode ser estomatite

Também conhecida como sapinho, essa inflamação na boca é altamente contagiosa e de difícil controle e por isso requer cuidados bucais especiais na fase infantil

Mau hálito e aftas no bebê? Pode ser estomatite

Também conhecida como sapinho, essa inflamação na boca é altamente contagiosa e de difícil controle e por isso requer cuidados bucais especiais na fase infantil

19 Março 2015

Se o seu bebê está com aftas e mau hálito, pode ser sinal de estomatite. Bastante comum em crianças, essa doença se caracteriza por uma inflamação na boca ou na gengiva que causa muito desconforto e dor. E, apesar do nome, não tem a ver com problemas no estômago, pois a palavra Estômato (de stoma) quer dizer boca em grego.

Bebe halito
 

A estomatite pode ser causada por vírus, fungos, bactérias e deficiência de vitamina C, do Complexo B e de ferro. No entanto, a causa por fungos, mais conhecida como sapinho ou candidíase oral, é a mais popular entre as crianças e costuma atingir a mucosa bucal de recém-nascidos.
 

Porém, apesar de ter causas bem definidas, uma higiene bucal falha pode dificultar o controle da doença. “A falta de higiene aumenta a possibilidade de bactérias. No caso da estomatite, não contribui com o aparecimento da doença, mas sim para o agravamento do quadro”, diz Anyelen Esper Pereira, cirurgiã-dentista do Instituto Israelita de Responsabilidade Social Albert Einstein.
 

Atenção aos sintomas
Por apresentar agentes causadores diferentes, os sintomas da estomatite também podem se apresentar distintos de acordo com a causa. No caso da estomatite por fungos, a língua, a gengiva, os lábios e mucosa da boca da criança ficam recobertos por uma camada branca. Essas placas possuem aparência de “nata de leite”. Os principais sintomas são: boca seca, perda de apetite, insônia e dificuldade de deglutição.
 

Já quando a causa é viral, aparecem vesículas acinzentadas ou amareladas no centro e avermelhadas por fora em volta da boca e/ou do nariz. Além isso, o bebê costuma apresentar febre, irritabilidade, falta de apetite, mau hálito intenso, recusa em usar a chupeta, recusa na ingestão de alimentos, gengivas muito vermelhas e que facilmente sangram e aftas na boca.
 

“A inflamação gengival, a falta de higiene durante a doença (pois a dor impede a realização de uma higiene eficiente) e o sangramento, são as principais causas do aparecimento do mau hálito na criança”, diz a especialista.
 

SAPINHOS:
As mães que amamentam devem observar se existem lesões nas mamas, que também precisarão ser tratadas.

Na maioria das vezes, o contágio se dá pelas mãos contaminadas das pessoas que manuseiam as crianças, por isso, a lavagem das mãos é essencial.
 

Para higienização correta dos utensílios, é recomendada fervura de mamadeiras e chupetas após cada uso.

Se ocorre na cavidade oral, o sapinho tem aparência semelhante a resto de leite que não sai, podendo ficar aderido na língua, gengiva, parte interna das bochechas e até nos lábios.

Deve-se trocar as fraldas com maior frequência para reduzir a umidade e evitar o uso de lenços umedecidos.

Fonte: Terra