Voltar

Cabo Frio registra aumento de mais 1000% nos casos de chikungunya

Cabo Frio registra aumento de mais 1000% nos casos de chikungunya

Primeiro semestre de 2019 termina com 328 confirmações, contra 26 em todo o ano de 2018

Cabo Frio registra aumento de mais 1000% nos casos de chikungunya

Primeiro semestre de 2019 termina com 328 confirmações, contra 26 em todo o ano de 2018

28 Junho 2019

O ano de 2019 ainda está longe de acabar, mas os números das arboviroses em Cabo Frio já são alarmantes. Dados revelados pela Secretaria de Saúde do município à Unimed Cabo Frio mostram que entre 1 de janeiro deste ano e o último dia 27 de junho foram feitas 1.607 notificações suspeitas de dengue, sendo 83 casos confirmados, e 1.261 notificações suspeitas de chikungunya com 328 casos confirmados. Em abril deste ano a Prefeitura divulgou um levantamento informando que em todo o ano de 2018 foram notificados 42 casos suspeitos de dengue, com 11 confirmações, e 34 notificações suspeitas de chikungunya com 26 confirmações, ou seja, um aumento de mais de mais de 3.700% nas notificações de dengue e mais de 654% nas confirmações, e de mais de 3.600% nas notificações de chikungunya e pouco mais de 1.161% de confirmações da mesma doença.

Outro dado alarmante é que, também em abril deste ano, a Prefeitura informou que até aquele momento haviam sido registradas 152 notificações suspeitas de dengue com 11 confirmações, e 152 notificações suspeitas de chikungunya com 21 confirmações. Comparados aos números divulgados no último dia 27, nota-se que em apenas dois meses os casos de notificação de dengue, em Cabo Frio, aumentaram em quase 10 vezes, e os casos confirmados em mais de seis vezes, enquanto os casos suspeitos de chikungunya aumentaram em sete vezes em apenas dois meses, e os casos confirmados, mais de 14 vezes.

Para combater as doenças provocadas pelo Aedes é necessário que o combate seja feito o ano inteiro, diariamente, pelos moradores dentro das casas e nos quintais, já que a mais recente Nota Técnica do Instituto Oswaldo Cruz e Fundação Oswaldo Cruz (IOC/FOC) explica que 80% dos criadouros estão dentro das residências. Desta forma, impedir o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti é o meio mais eficaz de se prevenir contra essas doenças, que apenas parecem inofensivas.

De acordo com o Ministério da Saúde, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave. Neste último caso pode ser fatal. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Em alguns casos também apresenta manchas vermelhas na pele.

Na fase febril inicial da dengue, pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados.

Já a ANS (Agência Nacional de Saúde) alerta para os cuidados na prevenção contra o mosquito que incluem:

 

NAS ÁREAS INTERNAS DAS RESIDÊNCIAS OU EMPRESAS

- Tampe os tonéis e caixas d’água;

- Mantenha as calhas sempre limpas;

- Mantenha lixeiras bem tampadas;

- Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;

- Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;

- Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;

- Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

 

NAS ÁREAS EXTERNAS

- Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;

- Limpe ralos e canaletas externas;

- Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;

- Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;

- Verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa

- Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;

- Não deixe pneus em áreas descobertas

 

ARBOVIRORES (JANEIRO A JUNHO DE 2019)

Fonte: Secretaria de Saúde de Cabo Frio

 

CASOS SUSPEITOS

CASOS CONFIRMADOS

Dengue

1.607

83

Chikungunya

1.261

328

Zika

0

0

TOTAL

2.868

411

 


Marketing Unimed Cabo Frio

Fonte: Prefeitura de Cabo Frio, Ministério da Saúde e ANS