Voltar

Conselho Federativo realiza sua 9ª reunião do ano

Conselho Federativo realiza sua 9ª reunião do ano

Conselho Federativo realiza sua 9ª reunião do ano

30 Outubro 2020

              No último dia 23, as Unimeds do estado do Paraná realizaram a 9ª reunião do Conselho Federativo de 2020. Essa é a 5ª reunião ordinária que acontece este ano.  As reuniões ordinárias acontecem a cada dois meses. No entanto, devido à pandemia, o Conselho tem se reunido, extraordinariamente, quase todos os meses.  Na pauta, atualizações institucionais, administrativa e financeira, além da palavra dos presidentes. Nesse último encontro, os participantes puderam conhecer ainda o status do projeto DRG.

            O material foi apresentado pela diretoria de Saúde e Intercâmbio, por meio da equipe da gerência de Estratégia e Regulação em Saúde, de Marlus Volney de Morais.  O DRG Brasil, conforme apresentado, tem triplo objetivo: melhorar a experiência do paciente, aumentar a qualidade assistencial e reduzir o desperdício.  Sendo assim, o trabalho desenvolvido com os hospitais visa quatro alvos: uso eficiente do leito hospitalar, aumento da segurança assistencial, redução de internações evitáveis e redução de readmissões preveníveis.

           Nesses 21 meses do projeto, desenvolvido pela Unimed Paraná, estão participando 11 hospitais parceiros, distribuídos entre seis Unimeds.  Durante a apresentação, os participantes do Conselho puderam observar os impactos do projeto em cada um dos alvos definidos. Inclusive a análise sobre o desempenho dos prestadores. O que inclui o uso do prontuário eletrônico, a qualidade de registro das informações, a codificação dentro do período (até 10 de cada mês), notificações das condições adquiridas, acessos aos indicadores nos setores (CCIH, Comissão de prontuário, núcleo de segurança do paciente da CCIH, comissão de pele), integração dos dados básicos e assistenciais, médico na equipe do prestador e a análise dos indicadores entre Singular e prestador.

           Para a equipe que trabalha com o DRG, os grandes desafios incluem ações digitais (qualidade das informações e integração de dados entre o prontuário eletrônico e a plataforma DRG), ações assistenciais (ações relacionadas aos resultados dos indicadores) e gestão (participação efetiva dos gestores e transparência nas ações entre operadora e prestadores).

          A Federação adotou algumas ações como análise e validação dos dados, integração de dados básicos e assistenciais, incentivo à utilização da ferramenta dentro da operadora (com interfaces: auditoria, atenção à saúde, programa segurança em alta, Núcleo de Inteligência), suporte às Singulares em ações relacionadas aos quatro alvos e também suporte a elas na seleção dos indicadores de desempenho de seus prestadores. Isso de acordo com as características locais, interface crítica com o DRG Brasil, para ajustes (como por exemplo, tempo de permanência previsto, agrupamentos por severidades, disponibilidade de acesso aos dados para uma integração de custos) e reuniões bimestrais com diretores, área técnica e prestadores. Segundo Morais, o trabalho tem caminhado no sentido de fortalecimento das parcerias com os prestadores.

         Sobre a fala dos presidentes das Singulares, destaque para o agradecimento às várias ações da Federação, assim como à escolha da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) de três Unimeds do estado, Londrina, Cascavel e Oeste do Paraná. Elas foram selecionadas pela ANS para o Projeto Cuidado Integral à Saúde, parceria da ANS com o Institute for HealthCare Improvement (IHI), a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade – SBMFC e o Hospital Alemão Oswaldo Cruz – HAOC.  A iniciativa faz parte do Programa de Certificação de Boas Práticas em Atenção à Saúde (PCBP) e é uma fase preparatória para a solicitação da certificação em Atenção Primária à Saúde (APS).


Assessoria de imprensa

Fonte: Unimed Paraná