Voltar

Dados apontam avanço das contaminações por Covid-19 no Paraná

Dados apontam avanço das contaminações por Covid-19 no Paraná

Dados apontam avanço das contaminações por Covid-19 no Paraná

27 Maio 2021

A possibilidade de um novo pico de infecções pela Covid-19 fez com que as reuniões do Centro Estadual de Controle Covid-19, antes realizadas quinzenalmente, passem a ser semanais. Dados apresentados no encontro virtual mais recente, realizado no dia 24 de maio, apontam o crescimento do índice Rt – que mede a transmissibilidade da doença – no Paraná e na capital.

A colaboradora da área do Núcleo de Inteligência e Informação em Saúde (NIIS), Jessica Fernandes de Macedo, trouxe os dados mais recentes sobre a doença em nível nacional, estadual e municipal. No dia da reunião, o Rt no Paraná estava em 1,10, ou seja, cada 10 pessoas contaminadas podem transmitir o vírus para outras 11, o que aponta o crescimento da doença no estado.

Em Curitiba, de acordo com os dados, houve uma evolução de 28,9% na média móvel de casos em relação à média móvel de 14 dias atrás. Há a probabilidade de um novo pico de contaminações já no mês de junho que, de acordo com especialistas, pode ser pior do que os registrados anteriormente, uma vez que a curva de casos, óbitos e internações segue elevada.

A aplicação da telessaúde na Unimed Curitiba

Após o apanhado geral sobre a doença, a reunião contou com a apresentação da Unimed Curitiba, que trouxe os principais resultados apontados pela implementação da telessaúde durante a pandemia. “A telessaúde chegou como uma oportunidade de otimizar a forma de prestação de cuidados em saúde, estimulando o uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) para sua qualificação, ganho de eficiência e melhoria do acesso”, pontua a profissional Luciana Maria Ribeiro de Souza.

Entre março de 2020 e março de 2021, de acordo com a colaboradora, foram agendadas 12.379 consultas nas modalidades de telemedicina (71%) e telefone sem vídeo (29%). Destas, 9.369 foram realizadas, sendo 51,62% de casos suspeitos, 24,25% de confirmados sintomáticos, 21,67% assintomáticos, e 2,43% descartados. Os dados apontam a adesão dos beneficiários à modalidade, que cresceu ao longo dos meses.


Assessoria de Imprensa

Fonte: Unimed Paraná