A Unimed e o cooperativismo

  • A Unimed do Brasil 

    acredita no modelo cooperativista como uma alternativa eficaz para melhorar a situação da saúde no Brasil

  • As 300 maiores cooperativas

    do mundo geram um volume de negócios anual de 2,5 trilhões de dólares, mais do que o PIB da França, segundo o Departamento da Organização das Nações Unidas (ONU) de Assuntos Econômicos e Sociais

  • O Sistema Unimed 

    foi classificado como a 30ª maior cooperativa do mundo, a 1ª em Saúde, na mais recente edição do Monitor Mundial, relatório global promovido pela ACI

  • O sistema cooperativista

     é considerado resiliente diante de dificuldades econômicas. Atualmente, o Brasil conta com 13 ramos do cooperativismo: Consumo, Social, Trabalho, Educacional, Transporte, Agropecuário, Crédito, Habitacional, Produção, Infraestrutura, Mineral, Turismo e Lazer e Saúde, no qual a Unimed está inserida. O cooperativismo brasileiro tem uma excelente reputação internacional e nos países membros do Conselho Administrativo da Aliança Cooperativa Internacional (ACI)

  • A Unimed é diferente 

    das demais concorrentes, por sua própria essência. Seu modelo de negócio e perfil mercadológico são diferenciais de mercado. O Sistema Unimed não tem o lucro como objetivo final, uma vez que o cooperativismo substitui a relação emprego-salário pela relação trabalho-renda. Em uma cooperativa, o que tem mais valor são as pessoas e quem dita as regras é o grupo

  • Graças ao modelo

    cooperativista, o Sistema Unimed proporciona um atendimento digno a regiões em que o sistema público é precário. A Unimed do Brasil tem a prerrogativa de incluir o cooperativismo na agenda de soluções para a saúde no País

  • A sustentabilidade

    é palavra de ordem no universo cooperativista. Cooperativas adotam práticas que incentivam práticas como inovação, consumo consciente, respeito à natureza e o compromisso com a coletividade