Voltar

Unimed Cascavel alerta para a luta contra as hepatites virais

Unimed Cascavel alerta para a luta contra as hepatites virais

Unimed Cascavel alerta para a luta contra as hepatites virais

29 Julho 2020

Números divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que existem aproximadamente 325 milhões de pessoas no mundo diagnosticadas com hepatites virais B ou C. A cada ano, essas doenças, caracterizadas pela inflamação do fígado, matam cerca de 1,4 milhões de pessoas. A luta contra as hepatites virais é uma questão que envolve todos os países, tanto que 28 de julho é o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, o que levou o mês inteiro a ser chamado de “Julho Amarelo”, destacando a importância do tema.

Ainda que a hepatite seja a segunda maior cause de morte entre as doenças infecciosas, ficando atrás apenas da tuberculose e ultrapassando a letalidade causada pelo HIV, é preciso reforçar que esta é uma doença tratável, desde que haja investimento em prevenção, testagem e tratamento.

Prevenção • Hepatites B e C são evitáveis. A vacina contra hepatite B fornece proteção ao longo da vida. Mas tanto a hepatite B quanto a hepatite C podem ser transmitidas durante o ato sexual. Portanto, proteja-se usando preservativos.

Testagem • A testagem precoce significa tratamento precoce para prevenir doenças e salvar vidas.

Tratamento • Se você testou positivo, o tratamento deve ser iniciado sem demora. No caso da hepatite B, algumas pessoas precisarão de tratamento e poderão se manter saudáveis, com terapia, por toda a vida.  Em relação à hepatite C, o tratamento dura três meses e pode curar a infecção.

Sintomas

Hepatites podem ser silenciosas, nem sempre apresentando sintomas. Quando eles aparecem, podem incluir cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Situações de risco

Para saber se há a necessidade de realizar exames para detectar um possível quadro de hepatite, observe se você já se expôs a algumas dessas situações:

• Condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos (vírus A e E)
• Se praticou sexo desprotegido ou compartilhou seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B, C e D)
• Se pode ter passado para o bebê, durante a gravidez, o parto ou a amamentação (vírus B, C e D)

IMPORTANTE: Nos casos das hepatites B e C, é preciso um intervalo de 60 dias após a exposição ao vírus para que os anticorpos sejam detectados no exame de sangue.

Cuidar de você. Esse é o plano.