Voltar

Comitê de Humanização do Hospital da Unimed Catanduva promove ação surpresa no Dia das Crianças

Comitê de Humanização do Hospital da Unimed Catanduva promove ação surpresa no Dia das Crianças

Presença de personagem infantil deixou o ambiente hospitalar mais alegre

Comitê de Humanização do Hospital da Unimed Catanduva promove ação surpresa no Dia das Crianças

Presença de personagem infantil deixou o ambiente hospitalar mais alegre

22 Outubro 2020

 

Em comemoração ao Dia das Crianças, o Comitê de Humanização do Hospital Unimed São Domingos (HUSD), da Unimed Catanduva, organizou uma ação especial para os pequenos internados na Pediatria. As crianças receberam a visita surpresa do Homem Aranha e também ganharam presentes. A atividade se estendeu a outras áreas do hospital. 

A mãe Keli Daiane Angeloti, que está com o filho Miguel, de 11 meses, internado, ficou emocionada. “Para nós está sendo muito difícil. Tenho meu outro filho de quatro anos em casa, e é muita saudade. A ação é um sinal de carinho muito especial que vocês têm com as crianças”. 

A pequena Isis, de 3 anos, ficou animada com a visita do Homem Aranha. A avó Graziela Varote agradeceu a surpresa. “É muito gostoso, gratificante ter uma surpresa dessas. Não imaginava que as crianças receberiam um presente dentro do hospital”. 

Prematura, com quase 3 meses de vida, sendo 82 dias na UTI, a pequena Keila, agora já no quarto da Pediatria, teve o seu primeiro Dia das Crianças marcado pela visita inusitada do personagem. “Ela é um presente de Deus, já que eu não conseguia engravidar. Keila nasceu na 25ª semana de gestação”, relembrou a mãe, Cristina da Silva Ferreira.

Cristina aproveitou para agradecer o carinho recebido de todos. “Só tenho a agradecer aos médicos e enfermeiros que cuidam dela. Hoje é um dia incrível e especial”, refletiu. 

Para a presidente do Comitê de Humanização, Ana Carolina Fumagalli, ter este retorno é prazeroso. “Cada uma destas ações nos mostra que estamos cumprindo nosso papel de humanizar o atendimento, nos tornando mais próximos do paciente e promovendo bons sentimentos e um tratamento mais assertivo.” 


Fonte: Patrícia Santos / Unimed Catanduva