Voltar

Criança recebe alta da Unidade Respiratória após 16 dias de internação

Criança recebe alta da Unidade Respiratória após 16 dias de internação

A luta do pequeno Luan está na reta final, agora na Pediatria

Criança recebe alta da Unidade Respiratória após 16 dias de internação

A luta do pequeno Luan está na reta final, agora na Pediatria

25 Março 2021

 

Após 16 dias de internação na Unidade Respiratória do Hospital Unimed São Domingos (HUSD), o pequeno Luan Almeida de Queiroz, de 7 anos, foi transferido para a Pediatria e, agora, espera junto da mãe, Gilsilene Almeida Lisboa Queiroz, pela reta final do seu tratamento.

 

De acordo com Gilsilene, o filho, que faz tratamento de anemia falciforme, contraiu a doença no começo do mês, ainda em casa. “Não o deixava sair, tinha medo dele pegar a doença porque tem o organismo mais frágil. Mas o marido da babá dele testou positivo e quando ela foi me avisar, o meu filho já estava começando a apresentar também os sintomas”, recordou.

 

A evolução da doença em Luan foi rápida. Os primeiros sintomas foram dor de cabeça e febre, depois apresentou dores nas costas. Ele foi internado no dia 7 de março. “Ele ficou bem grave, com pneumonia bilateral bacteriana, devido complicações da Covid-19. Teve de ser feita a drenagem do tórax e agora está evoluindo bem, já na Pediatria”, explicou o pediatra e cooperado da Unimed Catanduva, Renato Lorenzon.

 

 

INTUBAÇÃO

 

Dentre os 16 dias na Unidade Respiratória, a saúde do pequeno teve oscilações e ele precisou ser intubado por um dia: as 24 horas de maior preocupação para a família. “Entrei em desespero quando precisou intubar ele, tinha muita dificuldade para respirar. Mas, graças a Deus, no dia seguinte acordou da sedação e me ligaram dizendo que ele estava me chamando. Foi tão gratificante saber que ele tinha acordado”, relembra a mãe.

 

Assim como Luan, os pais também testaram positivo para doença, porém com sintomas leves. Gilsilene agora aguarda a recuperação completa do filho, para que possam em breve estar em casa. “Foi um período muito difícil. Mas graças a Deus e com muita fé chegamos na reta final”.

 

Luan também está animado para matar saudades dos “amiguinhos”, mesmo que por vídeo. “Tenho saudades de brincar com os meus primos e do meu amigo Lorenzo, da escola”.


Fonte: Patrícia Santos | Unimed Catanduva