Voltar

Hospital Unimed registra parto humanizado no quarto da maternidade

Hospital Unimed registra parto humanizado no quarto da maternidade

Amália nasceu na madrugada do domingo esbanjando saúde

Hospital Unimed registra parto humanizado no quarto da maternidade

Amália nasceu na madrugada do domingo esbanjando saúde

14 Janeiro 2021

A madrugada do último domingo, dia 10, foi de grande emoção para a equipe do Hospital Unimed São Domingos (HUSD), da Unimed Catanduva, que acompanhou um parto humanizado no quarto da maternidade. Amália Nassar Florêncio nasceu com 44,5 centímetros e 2.010 quilos e é a primeira filha do casal Eduardo Florêncio e Gabriela Minchon Nassar. 

Gabriela e o marido deram entrada na maternidade às 00h30. Amália nasceu três horas depois, mais precisamente às 3h39. A emoção tomou conta dos presentes e, principalmente, dos pais que fizeram questão do nascimento no leito do quarto. “Desde o início da gravidez venho estudando bastante sobre parto normal, para ficar mais preparada. A falta de conhecimento causa medo, principalmente pela questão da dor no parto. Decidi pelo que achei melhor para ela (Amália) e para mim”, disse. 

Eduardo se manteve presente o tempo todo e ressaltou que mesmo os momentos de maior tensão foram “tranquilos”. “Diria que foi tranquilo até um certo momento (risos), mas foi maravilhoso vê-la nascer”, disse o pai, que teve a experiência de cortar o cordão umbilical de Amália. Gabriela complementou a fala. “Conversamos muito e nos preparamos para este momento. Ter o apoio do Eduardo foi fundamental.”

“Só posso dizer que fico muito feliz em ter participado de um momento tão lindo. Uma experiência que me tocou muito, mesmo depois de tantos anos de profissão. A Gabi é dona de uma força impressionante. Em nenhum momento ela desistiu do parto humanizado, foi firme até o final em sua decisão e fez questão de ter o bebê no quarto. Tomara que ela sirva de exemplo para que outras mulheres não tenham medo do parto normal”, disse a ginecologista e obstetra Angélica Silva Figueiredo.

SEM DOR 

No dia do parto, Gabriela já estava com contrações, mas não sentia as dores. “Estava com nove centímetros de dilatação, mas não sentia contrações, nem mesmo a bolsa tinha rompido. As dores só vieram depois que chegamos à maternidade e rompemos a bolsa com auxílio da equipe médica”, lembrou. Durante a gestação, além da avaliação e acompanhamento médico, Gabriela também fez exercícios que contribuíram para o preparo do parto normal. “Fiz pilates e caminhada. Ambos contribuíram para este resultado tão positivo”, lembrou. 

A jovem deixou um recado para as futuras mamães que pensam em parto normal: “Para você que pensa em ter um parto normal, oriento dedicação e preparo emocional, físico e psicológico. Com base nos relatos que li ao longo da gestação, os traumas apresentados durante o parto normal eram decorrentes da falta de um preparo antecipado.”

 

 


Patrícia Santos | Unimed Catanduva