Voltar

Câncer de próstata avançado: novidades em medicamentos para o tratamento

Câncer de próstata avançado: novidades em medicamentos para o tratamento

Câncer de próstata avançado: novidades em medicamentos para o tratamento

2 Setembro 2019

“Novas fronteiras no tratamento clínico do câncer de próstata avançado” foi tema da palestra do Dr. Felipe Lott, no quarto encontro do Projeto de Educação Continuada da Urologia Unimed Chapecó, na última semana, no auditório 2 da cooperativa médica, em Chapecó. Esta iniciativa contou com o apoio da empresa Apsen Farmacêutica e reuniu profissionais da área de urologia e oncologia.

No encontro foram apresentadas as novidades e os avanços na terapia medicamentosa do câncer de próstata. De acordo com Lott, antigamente havia poucas opções para o tratamento do paciente com câncer de próstata avançado. “Acabava sendo quase que uma sentença de morte nesses casos. Atualmente, há muita medicação nova que melhora a qualidade de vida para o paciente, com menor toxidade do que a quimioterapia e pode postergar o aparecimento de metástase e a evolução para óbito”, explicou.

Lott é médico uro-oncologista do Instituto Nacional de Câncer (INCA), tem vasta experiência em clínica e cirurgia em uro-oncologia, possui mestrado e doutorado na área. Além disso, é pioneiro em cirurgia robótica no Estado do Rio de Janeiro e é coordenador do departamento de Laparoscopia e cirurgia robótica da Sociedade Brasileira de Urologia do Rio de Janeiro (SBU/RJ).

Fosfomicina
“O uso da fosfomicina em urologia nos dias atuais” foi abordado pelo médico urologista e cooperado da Unimed Chapecó, Dr. Paulo Fernando Caldas. Este antibiótico microbiano foi criado na Espanha em 1969 e é indicado como antimicrobicida para cistite não complicada em mulheres, prostatite aguda ou crônica, infecções recorrentes e para profilaxia em pacientes que serão submetidos à biópsia de próstata por via transretal. Contudo, o médico urologista alerta que não deve ser aplicado em idosos, diabéticos, pacientes que com problemas renais ou que fazem uso de corticoides.

Projeto
O projeto teve seu primeiro encontro no mês de junho. Cada reunião, realizada mensalmente, conta com um tema específico com o objetivo de discutir medidas diagnósticas e terapêuticas para cada tipo de caso. Participaram dos primeiros encontros urologistas, radioterapeutas, radiologistas, oncologistas, patologistas, cirurgiões torácicos, entre outras especialidades e demais profissionais da área da saúde. 

De acordo com Dr. Caldas, esses encontros são importantes por integrar os médicos urologias, de diversas especialidades e outros profissionais da área de saúde, para discutir casos complexos e novos métodos de diagnósticos e terapêuticos voltados a atualização e a excelência dos procedimentos. “Assim, temos a oportunidade de conhecer a visão de cada profissional, debater qual a melhor opção para os casos e trocas experiências”, comentou.

O próximo encontro está previsto para 12 de setembro, com a apresentação e discussão de casos complexos de cianose de uretra e câncer de próstata com o médico urologista Marcelo Zeni.