Voltar

Congressos debatem importância da nutrição em pacientes hospitalizados

Congressos debatem importância da nutrição em pacientes hospitalizados

Congressos debatem importância da nutrição em pacientes hospitalizados

5 Setembro 2019

Para proporcionar conhecimento aos profissionais de saúde, a Unimed Chapecó promove nos dias 20 e 21 de setembro, o VIII Congresso de Terapia Nutricional e IV Congresso de Terapia Intensiva, no Lang Palace Hotel. A iniciativa é destinada a médicos, nutricionistas, farmacêuticos, fonoaudiólogos, enfermeiros e estudantes dessas áreas. 

A programação científica contará com a participação de profissionais renomados, que aprofundarão aspectos relacionados aos temas com foco na atuação multidisciplinar. Neste ano, serão abordados temas como: paciente crítico - desafio no combate à desnutrição e reabilitação funcional; preparo imunológico para paciente cirúrgico; terapia nutricional em pediatria e o papel da Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional (EMTN) no cuidado com o paciente.

O objetivo é abordar assuntos com direto impacto na mortalidade dos pacientes graves e atualizar os profissionais da saúde com aplicabilidade no uso de terapia nutricional em pacientes hospitalizados acometidos pelas mais variadas doenças, que levam à desnutrição e até consequências mais graves como complicações clínicas e cirúrgicas.

De acordo com o médico coordenador da EMTN do Hospital Unimed Chapecó, Dr. João Baroncello, esses congressos cumprem com o princípio básico da cooperativa médica em ser referência com excelência em gestão, ensino e pesquisa. “Os profissionais precisam se manter atualizados, e a temática sobre a importância de manter o paciente nutrido vem sendo evidenciada nos últimos anos”, comenta.

Dados
Segundo o Inquérito Brasileiro de Avaliação Nutricional Hospitalar (IBRANUTRI) - um estudo realizado com 4.000 enfermos de hospitais públicos do Brasil, 48,1% dos pacientes internados apresentam algum grau de comprometimento do estado nutricional, sendo que 12,6% são diagnosticados como desnutridos graves e 35,5% moderados.

Baroncello ressalta que um paciente, adequadamente nutrido, tem menor probabilidade de infecções, o processo de cicatrização das feridas é mais rápido e, consequentemente, o tempo da internação é reduzido. Os dados do IBRANUTRI sobre a permanência hospitalar revelam um tempo médio de internação de seis dias para pacientes eutróficos (boa nutrição), enquanto que para os desnutridos a média sobe para 13 dias internados.

“O estudo comprova que cada real investido em terapia nutricional é economizado quatro. A relevância deste levantamento foi tanta que motivou o Ministério da Saúde a estabelecer a Portaria 272 que padroniza a oferta da nutrição parenteral e, posteriormente, a Resolução 63, que padroniza a nutrição enteral e estabelece a implantação em todos os hospitais de uma equipe multidisciplinar de terapia nutricional”, complementa Baroncello.

Entre as condições no ambiente hospitalar que contribuem para a piora do estado nutricional, de acordo com o IBRANUTRI, estão: alta rotatividade dos funcionários da equipe de saúde; peso e altura não aferidos, o que dificulta a identificação da desnutrição; não observação da ingesta alimentar dos pacientes; intervenção cirúrgica em pacientes desnutridos em reposição nutricional; uso prolongado de soros por via venosa ao lado de dieta zero; ausência de terapia nutricional em estados hipermetabólicos e retardo no início da terapia nutricional.

Inscreva-se: https://www.eventbrite.com.br/e/viii-congresso-de-terapia-nutricional-e-iv-congresso-de-terapia-intensiva-tickets-64970562702?aff=ebdshpsearchautocomplete