Voltar

05 de maio - Dia Mundial de Higienização das Mãos

05 de maio - Dia Mundial de Higienização das Mãos

05 de maio - Dia Mundial de Higienização das Mãos

5 Maio 2017

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu 05 de maio como o Dia Mundial da Higienização das Mãos, que tem o objetivo de propor mais atenção dos profissionais de saúde e da população em geral para o cuidado com a lavagem correta das mãos, mas principalmente em ambientes hospitalares, em que há pacientes com baixa de imunidade.

Em fevereiro de 2017, foram registradas cerca de 300 mil internações em hospitais na região Sudeste, segundo dados do Datasus. A estimativa é que cerca de 10% desses pacientes contraíram algum tipo de infecção durante o período de internação, situação que poderia ser evitada com a higienização correta das mãos. De acordo com a Comissão Nacional de Biossegurança (CNB), pelo menos 100 mil pessoas morrem por ano, no Brasil, por causa do problema, que atinge tanto as instituições públicas, como as privadas.


POR QUE É TÃO IMPORTANTE HIGIENIZAR AS MÃOS?
Pode parecer um ato simples, mas a higienização das mãos é a ação mais eficiente para o controle de infecções e prevenção da transmissão de germes. Entre as medidas de segurança adotadas em um ambiente de promoção e cuidado da saúde, por exemplo, a higienização das mãos é uma das iniciativas que garantem aos pacientes e profissionais proteção contra várias doenças. Deve ser a primeira medida a ser adotada antes do contato com qualquer paciente, e a última, após o contato.

Essa ação é uma das medidas mais simples e eficazes na prevenção de infecções e, por consequência, na garantia da segurança do paciente. Através dela, é reduzida a transmissão cruzada de micro-organismos, muitos deles perigosos, para pacientes internados.


CUIDADOS NO AMBIENTE HOSPITALAR
Pacientes que passaram por cirurgias ou que estão em Unidades de Terapia Intensiva são os que correm mais riscos de contrair algum tipo de infecção causado por vírus ou bactérias. O uso de sondas, cateteres, ventilação mecânica, punção de veia para instalação de soro ou coleta de sangue são todos procedimentos que acabam servindo de porta de entrada para bactérias.

No ambiente hospitalar, medidas simples como essas acabam tendo um impacto significativo. Calcula-se, por exemplo, que apenas com a higiene adequada das mãos, entre o atendimento de um paciente e outro e antes da realização de qualquer procedimento invasivo, seria capaz de reduzir em 70% os casos de infecção. No entanto, apesar de simples, a adesão dos profissionais de saúde a esse cuidado ainda é pouca. Em média, apenas 40% deles lavam as mãos com a frequência adequada.


COMO HIGIENIZAR AS MÃOS
O hábito de higienizar as mãos é importante também fora dos hospitais, como forma de prevenção de diversas infecções como gripe e diarreia, por exemplo, e que deve ser cultivado desde a infância. As mãos devem ser lavadas com água e sabonete (líquido ou espuma) quando estiverem visivelmente sujas de sangue ou outros fluidos corporais, quando forem expostas a potenciais organismos formadores de esporos ou depois de utilizar o banheiro. Essa prática deve fazer parte da rotina de todos, especialmente nas seguintes ocasiões:
- Antes de comer ou manusear alimentos;
- Após ter utilizado as instalações sanitárias;
- Após assoar o nariz, tossir ou espirrar;
- Antes de efetuar qualquer ação que inclua o contato com mucosas corporais (por exemplo, colocar ou retirar lentes de contato);
- Após tocar animais ou seus dejetos;
- Após manusear resíduos, como o lixo doméstico;
- Após usar transportes públicos;
- Antes e após tocar doentes ou feridas (cortes, arranhões, queimaduras, etc.);
- Antes e após uma visita a um doente internado (no hospital ou outra instituição). 


Fontes: Jornal do Brasil e Folhamax


Setor de Comunicação e Marketing