Voltar

Quais as diferenças entre febre amarela, zika, dengue e chikungunya?

Quais as diferenças entre febre amarela, zika, dengue e chikungunya?

Quais as diferenças entre febre amarela, zika, dengue e chikungunya?

17 Março 2017

     Casos recentes da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti estão preocupando os brasileiros, mas agora a inquietação não é com a dengue, zika ou chikungunya, o foco é a febre amarela. A doença infecciosa possui dois tipos: a silvestre, transmitida pela picada do mosquito Haemagogus ou Sabethes, e a urbana transmitida pela picada do Aedes Aegypti. Por causa da crescente preocupação da população, a atenção com os sintomas da doença é crescente, e por conta da semelhança de algumas das características da febre amarela com as da dengue, do vírus zika e da febre chikungunya, é preciso estar atento às principais diferenças entre essas doenças. 

     Entre os sintomas em comum, estão a febre e as dores no corpo. Porém, o sintoma mais característico da febre amarela é a icterícia, ou seja, a coloração amarelada da pele e do branco dos olhos. Na fase inicial, a doença também inclui o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos mais graves, também há sangramento por boca, nariz e olhos, além de fortes dores abdominais, afetando órgãos como estômago, fígado e rins. Caso você identifique alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima. 

     A prevenção da doença deve ser feita através da disseminação do Aedes Aegypti. Os mosquitos se criam na água e se proliferam dentro das casas, então evite o acúmulo de água parada em recipientes abertos, como caixas d'água, latas e pneus com água, que são ambientes favoráveis para que o mosquito ponha ovos. 

     A febre amarela não é uma doença contagio-sa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. Além disto, a doença não tem nenhum tratamento específico, e o médico deverá tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos, medicamentos que aliviam a dor e reduzem a febre, inchaço e dores nas articulações, como AAS e Aspirina, precisam ser evitados, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. 

 

 

Fontes: O Globo, Prefeitura de Macaé e Portal da Saúde


Setor de Comunicação e Marketing