Voltar

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) - Março/2019

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) - Março/2019

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) - Março/2019

1º Março 2019

O que são?

São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos, transmitidas principalmente por meio do contato sexual sem preservativo ou pelo compartilhamento de seringas durante a gestação, parto ou amamentação.

Quais são?

Entre as infecções, podemos citar a gonorreia, sífilis, vírus do papiloma humano (HPV), vírus da imunodeficiência humana (HIV), Doença Inflamatória Pélvica (DIP), Herpes, Tricomoníase, hepatites, entre outras.

Sintomas?

Os sintomas são variados e incluem corrimento, verrugas e feridas (que podem aparecer em qualquer parte do corpo). Algumas infecções não apresentam sintomas, mas todas necessitam de tratamento adequado para não causar graves complicações e até mesmo a morte.

O que fazer se suspeitar de uma IST?

Na presença de qualquer sinal ou sintoma de possível IST, é recomendado procurar um profissional de saúde o mais brevemente possível, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado. Demorar a procurar atendimento, aguardar que ocorra melhora espontânea ou mesmo usar medicamentos que alguém conhecido usou em situação parecida pode acabar gerando consequências negativas.

Como é feito o diagnóstico de uma IST?

Quando existem sintomas, o diagnóstico é guiado pela história clínica e pelo exame físico e confirmado com testes laboratoriais, se necessários. É possível realizar exames para rastreamento, quando não existem sintomas mas há possibilidade de ter ocorrido contágio. O médico fará a melhor indicação de acordo com a situação.

É possível prevenir as ISTs?

A informação é uma das armas mais poderosas contra as ISTs. Com o conhecimento correto de como agir, muitas dessas doenças podem ser evitadas.

O método mais eficaz para a prevenção é a utilização de preservativo, feminino ou masculino, em todas as relações sexuais (orais, vaginais ou anais). Qualquer pessoa que tenha relação sexual desprotegida pode contrair uma IST, independente de sua orientação sexual, idade ou classe social.

Existe tratamento para as ISTs?

Todas as ISTs têm tratamento, mas nem todas têm cura. É o caso do herpes genital, da hepatite B crônica e da AIDS. Para essas infecções existem somente controle, que, às vezes, dura a vida toda, como a AIDS.

IMPORTANTE 

Apesar do fácil acesso à informação e de inúmeras campanhas, algumas IST, como a sífilis, apresentaram aumento na sua incidência nos últimos anos. A infecção pelo HIV também é preocupante, pois os avanços no tratamento e o aumento da sobrevida do soropositivo dão impressão equivocada de que a doença já está vencida. Com isso, a infecção pelo vírus vem aumentando entre os jovens pela não utilização de preservativos nas suas relações.

Para avaliar o risco de contaminação por HIV, existem testes e protocolos específicos disponíveis na rede pública de saúde. Portanto, caso tenha realizado sexo sem proteção procure uma unidade de saúde, preferencialmente em até 72 horas após a exposição. O tempo é crucial na prevenção!

Mesmo com tantos avanços nos tratamentos dessas infecções, nem sempre é possível atingir a cura. Por isso, a prevenção ainda é o melhor remédio. Proteja-se: use camisinha!

 


Viver Bem

Fonte: Unimed Curitiba