O VERÃO ESTÁ CHEGANDO... E A DENGUE TAMBÉM

O VERÃO ESTÁ CHEGANDO... E A DENGUE TAMBÉM

7 Dezembro 2011

 

Novamente vamos nos preocupar com a dengue – dados do início deste ano mostram que de janeiro a março o Brasil teve confirmados 254.734 casos de dengue que resultaram em 95 mortes.
A dengue é uma doença transmitida pelo Aedes – mosquito que sobrevive quase 1 ano em ambiente seco e que se prolifera facilmente em reservatórios de água parada, principalmente nos dias quentes e chuvosos do nosso verão. O mosquito adquire o vírus ao picar o indivíduo doente e após proliferação do vírus no interior do mosquito ele transmite a dengue ao picar uma pessoa sadia.  A doença não é transmitida de pessoa a pessoa pelo contato direto ou através do consumo de alimentos ou bebidas.
Os principais sintomas da dengue são febre alta, dores no corpo e na cabeça, principalmente atrás dos olhos, dores musculares e nas articulações, falta de apetite, enjôo podendo surgir manchas vermelhas pelo corpo. A doença pode evoluir para cura (como uma gripe forte) na grande maioria dos casos ou complicar com hemorragias, problemas no fígado, no coração e dificuldade respiratória, dentre outros que são a causa de morte nesta pequena parcela de acometidos.
É importante estar alerta para os sinais de complicação e que requerem atendimento médico de urgência, que são: após melhora inicial da febre (geralmente no terceiro ao sétimo dia da doença) surgem vômitos freqüentes, dor abdominal intensa, fraqueza importante, sangramentos (nariz, boca, hematomas pelo corpo) que sem tratamento evoluem para queda da pressão arterial e falência de múltiplos órgãos podendo levar à morte.
A dengue não tem tratamento específico, portanto mesmo nos quadros graves o tratamento é direcionado para suporte das complicações até que o próprio organismo se re-estabeleça.
O mais importante como tudo relacionado à nossa saúde, é a prevenção, que neste caso é combater a proliferação do mosquito Aedes. Neste sentido é fundamental um engajamento de toda a sociedade, pois somente o órgão de saúde não conseguirá combater o problema sem a ajuda da população.


Unimed Costa Oeste