Voltar

A sintonia do brincar

A sintonia do brincar

A sintonia do brincar

21 Outubro 2020

Ao brincar com um bebê você já teve a impressão de estar conectado a ele? Mesmo naqueles bebês em que a fala ainda não está desenvolvida? Você sabia que essa sensação não é somente fruto da nossa imaginação? Sim, a ciência conseguiu desvendar mais esse mistério! Um estudo conduzido por uma equipe de pesquisadores do Princeton Baby Lab, da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, avaliou a interação de um adulto com 18 crianças entre 9 – 15 meses e constatou que durante um momento lúdico, uma brincadeira entre bebê e adulto, as atividades cerebrais dos participantes se elevam e declinam juntas. Esse dado aponta uma sincronia neural entre as crianças e seus cuidadores, enquanto compartilham brinquedos e possuem contato visual.

“Durante a comunicação, tanto o adulto quanto a criança no estudo, pareceram formar um ciclo de feedback, ou seja, o cérebro do adulto pareceu prever quando os bebês sorririam, e o da criança antecipou quando o adulto usaria uma ”fala infantil” e ambos os cérebros rastrearam em conjunto o contato visual e a atenção aos brinquedos. Enquanto os participantes brincavam, juntos, seus cérebros se influenciaram de forma dinâmica.”, afirma Elise Piazza, uma das pesquisadoras.

Uma das surpresas da pesquisa é que a sincronização foi mais evidente no córtex pré-frontal, uma área do cérebro responsável pelo planejamento e aprendizado que não é totalmente desenvolvida em bebês.

Já se sabia, que o contato pele a pele com os cuidadores, desde o nascimento, ajudam a criança a desenvolver a segurança e a confiança emocional. E que o toque é um canal crucial de comunicação entre cuidadores e bebês. A ciência também é clara em nos mostrar que os momentos iniciais do bebê (os primeiros 1000 dias e vida) são muito importantes e seus efeitos podem durar a vida toda. É nesse momento que o cérebro do bebê se desenvolve mais rapidamente do que em qualquer outro e as experiências e o ambiente em que ela vive, que moldam o quão feliz, saudável e inteligente ela será.

Agora sabemos que brincar com as crianças cria um vínculo único e forte, que vai além da própria brincadeira. Essa investigação avança no que se sabe sobre os cérebros e os comportamentos dos bebês. O adulto pode estar literalmente na mesma “frequência” cerebral da criança, e esta sincronia neural pode ter implicações importantes para o desenvolvimento social e o aprendizado da linguagem.