Voltar

Cuidado Adequado

Cuidado Adequado

Cuidado Adequado

4 Setembro 2017

 

Dra. Jussimara Steglich 
Médica Obstetra da Clínica Santa Helena e cooperada da Unimed Grande Florianópolis. 

No dia 15 de agosto comemorou-se o Dia da Gestante e para refletir sobre a data é fundamental entender a gravidez como uma experiência positiva. Diagnóstico precoce de uma gestação de alto risco, o aconselhamento sobre estilo de vida saudável, o planejamento familiar e o suporte para as mulheres que estão sendo vítima de violência de seus parceiros devem encontrar no pré-natal um espaço de suporte. Recentemente, a Organização Mundial da Saúde propôs recomendações sobre cuidados pré-natais. Mínimo de oito consultas assegura esse cuidado, e o primeiro contato com o atendimento deve ocorrer durante as doze primeiras semanas de gestação. As recomendações incluem vacinação, alimentação saudável e suplementação, atividade física e controle do álcool e tabaco. 

A maternidade passou por transformações e mesmo sendo um evento natural guarda riscos, passíveis de acompanhamento por profissionais, e evidências atuais apontam o parto hospitalar como mais seguro. Muito se fala em humanização do parto como conjunto de condutas que reduzem intervenções desnecessárias. São exemplos, práticas como a presença do acompanhante, o estímulo à movimentação no trabalho de parto, definição de limites para o parto cesárea, permanência do bebê junto à mãe e início do aleitamento imediato. Atenção humanizada requer que toda equipe atenda a gestante com respeito e dignidade, sem nenhum tipo de exclusão. Essas práticas exigem mudanças estruturais e econômicas nas rotinas das maternidades, com objetivo de mudar o modelo de atenção ao pré-natal e ao parto, promovendo o parto normal, com redução de cesarianas desnecessárias. Isso agora tem um nome: Projeto Parto Adequado. A Unimed Grande Florianópolis dá suporte à implementação dessas mudanças, junto com outras instituições, promovendo o envolvimento de seus profissionais, disseminando a ideia de um parto adequado entre suas beneficiárias, em sintonia com o que se observa nos grandes centros de assistência. Tais atitudes permitem uma mudança no paradigma de cuidado, com melhores desfechos para a equipe de saúde e satisfação de seus clientes.