Voltar

Hospital da Unimed Grande Florianópolis é o 1º de SC a utilizar inteligência artificial contra infecção generalizada

Hospital da Unimed Grande Florianópolis é o 1º de SC a utilizar inteligência artificial contra infecção generalizada

Singular da capital catarinense é a primeira Unimed do país a fazer uso da tecnologia em seus Serviços Próprios

Hospital da Unimed Grande Florianópolis é o 1º de SC a utilizar inteligência artificial contra infecção generalizada

Singular da capital catarinense é a primeira Unimed do país a fazer uso da tecnologia em seus Serviços Próprios

17 Outubro 2019

O Hospital da Unimed Grande Florianópolis iniciou nesta quinta-feira, dia 17/10, o processo de implantação de uma plataforma de inteligência artificial para auxiliar no diagnóstico precoce de infecções generalizadas. Nesta data, a Unimed Grande Florianópolis assume um protagonismo importante na transformação digital, pois passa a ser a primeira Unimed do país a implantar o Robô Laura nos Serviços Próprios. ”Alinhado com os vetores de transformação da gestão corporativa, o motor de inovação é uma alavanca importante e acelera a vanguarda da cooperativa em ter e ser o primeiro hospital do estado de Santa Catarina a implantar esse tipo de tecnologia”, diz Richard Oliveira, CEO da Unimed Grande Florianópolis.

De acordo com Raphael Corrêa Santa Ritta, assessor médico de Inteligência em Saúde da Unimed Grande Florianópolis, ”o Robô Laura analisará ativamente e simultaneamente os dados registrados nos prontuários relativos aos sinais vitais, exames laboratoriais e medicações administradas nos pacientes que ocuparem cada um dos 75 leitos de internação do hospital. Além disso, auxiliará no diagnóstico precoce de deteriorações clínicas, como é o caso da sepse grave, que pode levar o paciente à morte em algumas horas”. De acordo com Gabriel Gustavo Longo, diretor técnico do Hospital da Unimed Grande Florianópolis, ”para o hospital, a adoção desta ferramenta tecnológica representa um aumento na segurança dos pacientes. Ela auxilia a equipe assistencial no monitoramento e identificação precoce dos pacientes que apresentam deterioração do seu quadro clínico, possibilitando uma reposta mais rápida no atendimento destes pacientes”.

Robô Laura

"Essa é uma parceria muito importante para a Laura, em nosso propósito de levar tecnologia de ponta, acessível e eficiente ao maior número de hospitais e salvar mais vidas", afirma o co-fundador e diretor de Tecnologia da Laura, Cristian Rocha. 
A plataforma de inteligência artificial foi desenvolvida em Curitiba pelo analista de sistemas Jacson Fressato após a perda de sua filha, que se chamava Laura, devido a um quadro de sepse em 2010. Conforme dados analisados pela plataforma nos 13 hospitais que já utilizam a tecnologia, estima-se que o Robô Laura ajudou a reduzir a mortalidade em até 25% nos casos de infecção generalizada. Conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a Sepse é a causa de morte de mais de seis milhões de pacientes no mundo.

Equipe técnica do Hospital recebe treinamento