Unimed Itabira esclarece informações sobre obras e combate à covid-19

Unimed Itabira esclarece informações sobre obras e combate à covid-19

29 Março 2021

O presidente da Unimed ItabiraDr Virgilino Quintão, divulga nota à população itabirana e aos beneficiários da Unimed, esclarecendo alguns fatos importantes sobre a construção dos recursos próprios e da forma de enfrentamento da Covid-19.

Confira a nota na íntegra:

------

Prezados conterrâneos itabiranos.

Na qualidade de atual presidente da Unimed Itabira venho esclarecer notícias falsas veiculadas em redes sociais sobre a obra dos recursos próprios da Unimed Itabira.

1- A obra dos recursos próprios da Unimed Itabira na Avenida Li Guerra não está pronta e nem parada. A fachada externa está adiantada, mas o interior tem ainda muito a ser feito.

2- Temos um plano diretor de execução gradual com três etapas. A primeira etapa é um Pronto Atendimento + Centro de Diagnóstico + Unidades Administrativas, que era para ser inaugurado no início de 2021 e atrasou em decorrência de medidas restritivas impostas pelo combate à pandemia da COVID 19.

Desde início de 2020 reduzimos nossa mão de obra de 45 para 15 funcionários na edificação. A segunda etapa do plano diretor é um Hospital Dia. A terceira etapa é um Hospital Geral com 70 leitos, a princípio. O projeto e a fundação da estrutura permitem a ampliação em mais quatro andares e até 190 leitos. É um projeto de médio a longo prazo se for executado apenas com recursos da Unimed Itabira. O recurso financeiro para concluir e equipar um Hospital Geral com 70 leitos é de aproximadamente  R$ 90.000.000,00.  Estamos tentando parcerias dentro do Sistema Unimed para já iniciarmos como Hospital Geral.

3- Existe uma carência importante de leitos hospitalares para a Saúde Suplementar em Itabira. Com a municipalização do Hospital Carlos Chagas em 2015, que passou a ser 100% SUS, o Hospital Nossa Senhora das Dores tornou-se o único hospital local credenciado dos planos de saúde. São apenas 77 leitos para um contingente de aproximadamente 50.000 pessoas que possuem plano de saúde em nosso município ( 1,5 leitos para cada 1.000 beneficiários enquanto o preconizado seria pelo menos 2,5 leitos para cada 1.000 beneficiários ). Deste número de clientes, aproximadamente 20.000 são da Unimed Itabira.

4- Para mitigar esta situação de déficit de leitos e rede assistencial restrita em Itabira, a Unimed Itabira estabeleceu parcerias financeiras com o HNSD para viabilizar a construção de alas de internação ( Ala Celso Martins com 11 leitos em 2008, Ala Wilson Rossoni com 9 leitos em 2013 ), para montar o Pronto Atendimento e a Maternidade ( portas de entrada das urgências da Saúde Suplementar, em 2015 ) e para montar um leito de UTI COVID em parceria com o Rotary Club ( 2020 ). Nossos clientes também podem usar a rede assistencial de outras Singulares Unimed, dependendo da abrangência do contrato de plano de saúde.

5- Paralelamente às parcerias com o HNSD iniciamos a obra de nossos recursos próprios em 2015. O projeto arquitetônico ficou aguardando aprovação na prefeitura de Itabira por dois anos. Estes investimentos da nossa empresa foram concebidos para melhorar a qualidade do serviço prestado aos nossos clientes, nossa razão de ser e nosso financiador.

6- Com o propósito de auxiliar o poder público municipal no enfrentamento da pandemia da COVID 19, oferecemos nossa edificação de recursos próprios para a possível de montagem de um hospital de campanha em duas ocasiões, no primeiro semestre de 2020 e em março/2021. Ampliamos nosso serviço de teleorientação sobre a COVID 19 que era oferecido a nossos clientes para toda a população itabirana.

7- Em uma situação de emergência em saúde pública, como a da pandemia que vivemos hoje, todas as estruturas assistenciais estão sobrecarregadas e o sistema de saúde colapsado ( público e privado ). Nesta situação não há segmentação por vínculo assistencial do paciente. Todos são cidadãos com direito à saúde ( artigo 196 da Constituição Federal ) e as vagas de internação devem ser distribuídas conforme critérios clínicos. O leito privado pode ser utilizado pelo paciente do SUS e o leito do SUS pode ser utilizado pelo paciente que também tem plano de saúde. A Agência Nacional de Saúde Suplementar ( ANS ) cobra das operadoras de planos de saúde por toda ultlização que seus clientes fazem dos serviços públicos. Ou seja, existe um contrato tácito de credenciamento da rede assistencial pública com as operadoras de planos de saúde. O cidadão que paga pelo plano de saúde tem o direito de usar seu plano e também o SUS.

Virgilino Quintão Torres Cruz 
Médico de formação e cidadão itabirano.


Administrador