Voltar

MOTIVAÇÃO!

MOTIVAÇÃO!

MOTIVAÇÃO!

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial, Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão..Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente”

  



Nesta citação, Carlos Drummond de Andrade nos faz pensar a respeito do ciclo motivacional a que passamos no decorrer dos dias e meses. O ser humano está sempre em busca da felicidade, do pleno equilíbrio na vida, porém em muitos momentos a força interior a que chamamos de motivação se encontra “adormecida”, gerando estagnação, apatia e dias seguidos de metas traçadas e não cumpridas; em outros momentos essa força interior gera o impulso necessário para se traçar planos e agir vigorosamente em busca dos objetivos.

O começo de cada ano propicia novos pensamentos, novos sonhos, novas metas e tem essa conotação de renovação o que traz energias e forças necessárias ao impulso daquilo que se almeja ou que é necessário; surgem então as famosas promessas de ano novo. Mais qualidade de vida, mais saúde, equilíbrio alimentar, melhor socialização, bons relacionamentos afetivos, um aprimoramento profissional, investimento nos estudos, uma tão sonhada viagem, um investimento financeiro, o abandono de sedentarismo ou de vícios prejudiciais, dentre outras, são as mais comuns encontrados nas listas de aspirações do ser humano.

Não há dúvidas de que homens e mulheres são movidos por estes desejos pessoais, porém o fator motivação é que vai determinar a prática das ações para a real busca do plano traçado. Neste contexto se torna fundamental uma análise dos aspectos emocionais que podem estar envolvidos, onde o auto-conhecimento é a peça chave para se perceber as falhas e os bloqueios que podem estar impedindo a ação, tornando metas facilmente atingíveis em sonhos diariamente adiados ou até mesmo inalcançáveis.

É preciso portanto, reflexão constante para se manter no foco, na direção certa, na conservação da energia com saúde, na busca da auto-estima para que momentos de fraqueza, pouco estímulo e apatia sejam superados e contornados. È preciso tentar buscar a vitalidade, mesmo diante de obstáculos que possam estar impedindo este processo.

Na antiguidade os gregos acreditavam que a saúde estava intimamente ligada à paixão, paixão pela vida, pelas atividades do dia a dia. A raiz da palavra paixão vem do grego “PATHOS”, portanto aqueles que não estavam apaixonados pela vida eram considerados “a-páticos”, doentes, sem paixão.
Portanto, independente do dia em que estamos no calendário, precisamos manter as promessas de ano novo como prioridade e em atividade constante, buscando a motivação necessária, renovando sempre o prazer pelo que se fazemos e principalmente a paixão pela vida.



Cristiane Ap. de Souza- Psicóloga