Voltar

Unimed Itapetininga participa da segunda fase do Projeto Parto Adequado

Unimed Itapetininga participa da segunda fase do Projeto Parto Adequado

Unimed Itapetininga participa da segunda fase do Projeto Parto Adequado

23 Maio 2017

Dando início à segunda fase do Projeto Parto Adequado - PPA, os colaboradores da Unimed Itapetininga participaram da 1ª Sessão de Aprendizagem Presencial - SAP, realizada nos dias 2 e 3 de maio, para apresentar as especificações desta parte do projeto, que visa identificar modelos inovadores de atenção ao parto e nascimento, que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas desnecessárias na saúde suplementar.

 

A Unimed Itapetininga, que esteve representada por Dr. Shigueyoshi Sakashita – Médico Pediatra, Fabíola Rocha – Supervisora de Qualidade e Márcia Sobral – Supervisora de Enfermagem, é seguidora do projeto desenvolvido pela ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar, pelo Hospital Israelita Albert Einstein e pelo IHI - Institute for Healthcare Improvement, com o apoio do Ministério da Saúde, desde 2013, onde faz parte do grupo piloto, tendo participado de todas as estratégias e fases do Projeto.

 

Durante a implantação, a Unimed Itapetininga criou o próprio Projeto Nascer e investiu vigorosamente em adequações na estrutura física do Hospital, em treinamentos e em formação de recursos humanos. Foram contratadas enfermeiras obstetras e os médicos obstetras e pediatras passaram a fazer plantões in loco.

 

Implantou o cartão da gestante, o partograma, proporcionou o acesso aos percentuais de partos normais e cesáreas, passou a realizar a entrevista para assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido obrigatório para cirurgias cesáreas e o fornecimento da nota de orientação à gestante.

 

Com êxito na primeira fase, a Unimed Itapetininga foi reconhecida com dois certificados: um de participação do Projeto Parto Adequado e outro por ter atingido a meta de 40% de partos vaginais no Hospital Dr. José Silva Dantas Filho.

 

E é com esta disposição e empenho que a Unimed Itapetininga inicia esta segunda fase, onde a meta passa a ser de 50% de partos normais e a participação da operadora é mais efetiva criando novos tipos de remuneração aos médicos.

 

Outro ponto importante desta fase é que a captação e o preparo para o parto normal acontecem todo em nível de operadora e de consultório. O pré-natal efetivo com orientações e programas de orientações para a gestante, afinal, a gestante só vai para o Hospital para algumas consultas no final da gestação e para o parto. E assim como na primeira fase, a participação dos médicos é fundamental, afinal é uma mudança de cultura na população brasileira.

 

Diretamente para as gestantes, não há muitas mudanças. Na Unimed Itapetininga elas continuam tendo acesso ao Projeto Nascer, Ginástica para Mamães, Apoio Mama Bebê e Curso de Gestantes. Algumas das medidas que fizeram com que aumentasse significativamente a taxa de partos vaginais e promovessem melhorias importantes em indicadores de saúde das gestantes e recém-nascidos assistidos.

 

Ainda não há uma data pré-estabelecida para encerrar essa segunda fase do Projeto Parto Adequado, mas acredita-se que durará em média 3 anos. Bem como ainda será assinado um termo de responsabilidade quanto ao prazo para atingir a meta de 50% de partos normais. Inicialmente, está sendo pensado em julho de 2019. Lembrando que a Unimed Itapetininga também já tem o compromisso de manter a meta de 30% de partos normais.

 

O principal objetivo do projeto, que é oferecer mais atenção ao parto e à qualidade de vida da gestante e do bebê, está sendo alcançado na Unimed Itapetininga graças às ações que promovem a conscientização dos agentes envolvidos na mudança do modelo de nascimento.

18.05.17