Voltar

HUI promove palestra sobre prevenção ao suicídio

HUI promove palestra sobre prevenção ao suicídio

Com o objetivo de orientar como os colaboradores podem atuar para prevenir, identificar um caso em potencial e a importância do falar, o evento faz parte do cronograma do Setembro Amarelo da Unimed Itapetininga

HUI promove palestra sobre prevenção ao suicídio

Com o objetivo de orientar como os colaboradores podem atuar para prevenir, identificar um caso em potencial e a importância do falar, o evento faz parte do cronograma do Setembro Amarelo da Unimed Itapetininga

A Unimed Itapetininga realizou palestra para os colaboradores sobre “Prevenção do suicídio e canal de apoio”, com a psicóloga e colaboradora da Unimed Itapetininga, Jéssica Aparecida de Barros. O evento faz parte do cronograma da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), que adotou a oportunidade do Setembro Amarelo, mês de Prevenção ao Suicídio. Com o objetivo de orientar como os colaboradores podem atuar para prevenir, identificar um caso em potencial e a importância do falar, a palestra aconteceu no auditório do Hospital "Dr. José Silva Dantas Filho", da Unimed Itapetininga.

De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem todos os anos por atentarem contra a própria vida, o correspondente a uma morte a cada 40 segundos no mundo. “É preciso falar abertamente sobre o tema, com o intuito de que mais casos sejam evitados. É preciso também a conscientização no ano inteiro, não só em setembro. Não deixar a saúde mental para depois é essencial”, contou Jéssica.

Os colaboradores puderam entender a importância de falar e como nos tornamos responsáveis por cada fala; tiveram acesso à dados; compreenderam que existem sinais de alerta, mas não há uma fórmula pronta; o que não fazer; o que fazer; os canais de apoio; as frases de alerta; além de terem espaço para a realização de perguntas. “Alteração de sono, perda de interesse em atividades antes prazerosas, impulsividade, irritabilidade, autolesão, uso em excesso de drogas lícitas e ilícitas, mudanças bruscas de comportamento, isolamento, expressões de ideias ou intenções suicidas, romantizar a morte, postagens sobre suicídio ou depressão profunda nas redes sociais, os sinais podem ser diversos, mas é importante salientar que não existe um caminho específico”, explicou a psicóloga. Ao final da palestra os colaboradores se abraçaram, desejando boas coisas entre si. Um coffe break também foi oferecido.

A Unimed Itapetininga conta com o Núcleo de Assistência à Saúde (NAS), com profissionais qualificados para atender as demandas da saúde mental. A Unimed Itapetininga busca promover a saúde mental, com o reconhecimento dos fatores de riscos, acesso à informação, ajuda, prevenção e atendimento humanizado. É necessário sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão, viver é sempre a melhor opção.