Voltar

Gravidez semana a semana: entenda as mudanças no bebê e na mãe

Gravidez semana a semana: entenda as mudanças no bebê e na mãe

Saiba tudo o que acontece na gravidez, semana a semana! Entenda as mudanças no corpo da mamãe e veja o desenvolvimento do bebê, da concepção ao nascimento!

Gravidez semana a semana: entenda as mudanças no bebê e na mãe

16 Novembro 2018

 

Gravidez semana a semana: você sabe todas as modificações e adaptações que o corpo da mamãe faz para gerar o bebê? E como acontece o seu desenvolvimento a cada dia? 

 

A confirmação de uma gravidez desperta emoções intensas nos futuros pais. Ela traz a expectativa em torno da nova vida que está se formando e as transformações ocasionadas pela gestação. Cada fase da gravidez apresenta características particulares e reconhecê-las permite tornar essa experiência ainda mais especial.

 

Os nove meses, ou 40 semanas de gestação, costumam ser divididos em três trimestres. Isso acontece devido às peculiaridades de cada um desses períodos. O corpo da mulher se prepara para a formação da criança e para o parto, e cada semana é marcada por avanços significativos no desenvolvimento do bebê. 

 

No pré-natal, o médico irá acompanhar essas etapas, controlar a saúde da mãe e da criança e prestar as devidas orientações.

 

Para que você saiba quais são as principais mudanças de cada período da gestação, preparamos este artigo. Nele, você vai conhecer:

 
  • Entenda tudo o que acontece na gravidez semana a semana
  • Principais fases da gravidez semana a semana
  • Primeiro trimestre: 0 a 13 semanas
  • Segundo trimestre: 14 a 26 semanas
  • Terceiro trimestre: 27 a 40/41 semanas
 

Boa leitura!

Entenda tudo o que acontece na gravidez semana a semana

Entender a gravidez semana a semana permite que a mãe se prepare e curta mais sua gestação

 

A gravidez semana a semana tem alterações para mamãe e para o bebê, e cada etapa é crucial para uma gestação tranquila e saudável. 

 

Com duração média de 40 semanas, a gravidez é dividida em trimestres. Cada trimestre tem características próprias das fases de desenvolvimento. O primeiro é o que requer mais cuidados. O segundo é o mais tranquilo e, o terceiro, a preparação final antes de ter o bebê nos braços. 

 

Entender o que acontece semana a semana na sua gestação pode orientar e reforçar a importância de certos cuidados. Você vai saber, por exemplo, em que momento poderá descobrir o sexo do bebê, e a partir de quando ele começa a ouvir sua voz. 

 

Então, é possível fazer destes nove meses de gestação um momento único e mágico, criando um lindo vínculo entre mãe e filho

Principais fases da gravidez semana a semana

Uma gestação envolve mudanças físicas, hormonais e psicológicas da mãe e da família. 

Durante as 40 semanas que fazem parte da gestação, diversos fatores contribuirão para o bom desenvolvimento do feto. Isso inclui os hábitos alimentares e dia a dia da mãe, a tranquilidade da casa, a atenção com a saúde e o pré-natal, o histórico de doenças dos pais, entre outros. 

 

A gravidez é dividida em três trimestres, em função das especificidades destes períodos. 

 
  • No primeiro, começa a divisão celular, que transforma o óvulo fecundado em um embrião. 
  • No segundo, todo o sistema do bebê é concluído. 
  • E, no terceiro, o bebê ganha peso e altura, enquanto o corpo da mãe se prepara para o parto
 

Não esqueça de procurar um médico assim que descobrir a gravidez: o acompanhamento da gravidez semana a semana é essencial para a saúde da mãe e do bebê. O pré-natal ajuda a prevenir doenças através das vacinas para gestantes, observar o desenvolvimento do bebê e identificar, se for o caso, deficiências ou outras doenças com o máximo de antecedência. 

 

Vamos abordar, em seguida, as principais mudanças que se passam com mamãe e com bebê na gravidez semana a semana. 

Primeiro trimestre: 0 a 13 semanas

O primeiro trimestre é o mais delicado, por ter maiores riscos de aborto natural

 

O primeiro trimestre é contado a partir do momento da fecundação até a décima terceira semana. É o período mais delicado, pois é neste período que acontecem a maioria dos abortos.

 

Por conta disso, muitas mães preferem aguardar a entrada do segundo trimestre antes de contar a novidade para amigos e familiares. 

 

É, também, nesta fase que a mamãe vai passar por desconfortos, sintomas normais do começo da gestação. São estes sintomas, inclusive, que poderão alertar a mamãe sobre sua gravidez.

 

- As primeiras semanas de gravidez

 

 

Quando o óvulo é fecundado, começa o processo de multiplicação celular, até que o óvulo se torne um embrião.

A partir dessas células é que irão se desenvolver todos os sistemas essenciais para o bebê, com o passar das semanas.

Na quarta semana, o embrião será do tamanho de um grão de arroz. É, também, neste período que você, provavelmente, descobrirá a gravidez, em função do atraso em sua menstruação.

É aqui, também, que começam as náuseas, sintoma comum de muitas gestantes. Os enjoos são causados em função do hormônio HCG, liberado pela placenta.

Com isso, mesmo o teste adquirido em farmácia já deverá resultar positivo. Mas, se você fizer o exame para verificar se está grávida logo após o atraso de sua menstruação e der negativo, repita-o algumas semanas depois. É possível que o teste não tenha sido capaz de capturar a quantidade necessária de hormônio, resultando um falso negativo.

- Os principais sintomas do início da gravidez

Uma gestação costuma ter sinais que alertam à mamãe. Confirmar a suspeita de uma gravidez com um exame, mesmo que sejam testes de farmácia realizados em casa, é fundamental para que se possa iniciar o acompanhamento pré-natal o quanto antes.

Alguns sintomas são mais comuns do que outros, e não significa que você vá passar por algum deles. Cada gestação é única, e ainda que você já tenha filhos, não deve se basear pelas antigas experiências.

Os sintomas mais conhecidos do início da gravidez, são:

  • Menstruação atrasada
  • Constante vontade de urinar
  • Seios doloridos, com sensação de formigamento ou inchados
  • Enjoos (matinais ou não)
  • Alteração de cor na aréola (parte circular que envolve o bico do seio), aparecimento de uma linha do umbigo até o osso púbico ou outras alterações na pele
  • Desejos por alimentos ou sabores específicos
  • Fadiga e muito sono

- Mudanças na mamãe: do primeiro ao terceiro mês

No primeiro trimestre de gestação, o corpo da gestante começa a se adaptar à sua nova condição. Este começo da gravidez pode provocar grandes oscilações emocionais e maior sensibilidade nos seios, sono e cansaço, além dos famosos enjoos.

A placenta começa a se formar, bem como todo o sistema de apoio, como o cordão umbilical e o líquido amniótico. Isso garante que o embrião receba tudo o que precisa para se desenvolver.

Ainda que esteja no começo da gestação, as escolhas da mamãe já começam a afetar o bebê. Por isso, começar uma dieta balanceada, cortar completamente o uso de drogas, álcool ou cigarros e buscar um estilo de vida mais saudável é fundamental.

- Mudanças no bebê: do primeiro ao terceiro mês

Neste começo da gravidez acontece um rápido desenvolvimento do bebê, com a multiplicação veloz das células para iniciar a formação de vários órgãos. Com 4 semanas, o bebê tem o tamanho de um grão de arroz e o seu coração já começa a bater. Após 8 semanas, já tem braços e pernas aparentes, e começa a formação dos dedos.

No final do trimestre, o bebê já tem seu rosto praticamente formado, e seus genitais estão definidos - mas ainda não é possível descobrir o sexo.

 

Segundo trimestre: 14 a 26 semanas

 

No segundo trimestre da gravidez, o bebê tem concluído o desenvolvimento de todo o seu sistema

 

O segundo trimestre tende a ser a fase mais tranquila da gestação. Os sintomas negativos como enjoos já passaram, e a barriga ainda não está grande o suficiente para impedir os afazeres diários. 

 

É, também, nesta fase que o momento mágico acontece: será possível sentir, pela primeira vez, o bebê se mexendo. O coração também está batendo tão alto que um estetoscópio é o suficiente para ouvi-lo.

- Principais mudanças do meio da gestação

 

É durante o segundo trimestre que o bebê termina completamente sua formação. Ele está desenvolvendo funções respiratórias, auditivas e musculares. Além disso, também vai ganhar suas características físicas, com a definição dos olhos e orelhas, e o crescimento dos pelos. 

Podendo ouvir, o vínculo entre os pais e o bebê podem ser fortalecidos, já que ele poderá conhecer as suas vozes. Cante, leia histórias e converse com o bebê. 

Ele, agora, já tem sua posição preferida para dormir e até suas manias, como chupar o dedo, por exemplo.

- Mudanças na mamãe: do quarto ao sexto mês

Esta fase permite maior conforto e tranquilidade, já que os sintomas do início da gravidez começam a desaparecer. No entanto, podem surgir desconfortos como hemorróidas, constipação e dores na área da virilha.

A barriga da gestante começa a crescer e é possível sentir os primeiros movimentos do bebê. 

Os seios começam a se preparar para a produção de leite, aumentando de tamanho. A pele e o quadril também sofrem alterações.

- Mudanças no bebê: do quarto ao sexto mês

O bebê, nessa fase, começa seus movimentos respiratórios e a mexer as mãozinhas. Agora, também já é possível descobrir o sexo do bebê através do exame de ultrassom, se o bebê estiver uma posição que permita a visualização do órgão genital. 

Entre 17 e 18 semanas, o feto, mesmo ainda tão pequeno, já é capaz de sugar, engolir e piscar. Sua pele fica mais grossa e os seus cabelos, cílios e sobrancelhas começam a crescer. No meio da gestação (20 semanas), seus movimentos ficam mais intensos e os chutes vão surpreender a mamãe. 

Próximo ao fim do segundo trimestre, o bebê começa a ouvir e seu sistema já funciona completamente. Mas ele tem, ainda, o tamanho de uma couve-flor.

 

Terceiro trimestre: 27 a 40/41 semanas

Nas últimas semanas da gravidez, começam os preparativos para receber o bebê

 

O terceiro trimestre traz, consigo, a ansiedade e expectativa de ter logo seu bebê em casa. A barriga da mãe começa a provocar desconforto, não somente por impedir algumas tarefas ou movimentos mas, também, porque a azia pode estar presente nos seus dias. 

 

É importante lembrar que, apesar de serem consideradas 40 semanas para uma gestação, cada gravidez tem sua duração. A mulher pode entrar em trabalho de parto entre as 38 e 42 semanas. 

 

Assim, é hora de começar os preparativos, fazer as fotos de gestante (você vai querer ter essa lembrança), organizar a mala da maternidade e curtir as últimas semanas com seu bebê na barriga.

 

Você pode não ver a hora de seu bebê nascer, mas o barrigão vai deixar saudade.

- Dicas e informações importantes para as últimas semanas de gestação

 

Durante as últimas semanas, a mãe pode sofrer com azias e faltas de ar, em função do tamanho e do peso do bebê.

  • Azia ou má digestão: faça refeições menores, reduzindo o intervalo entre elas. Assim, seu sistema digestivo não sofrerá. Evite alimentos gordurosos e não deite logo após comer. Consulte o seu médico se estiver com dificuldades, ele poderá receitar um antiácido que não prejudique você ou o bebê;
  • Falta de ar: é normal que, em função da posição do bebê e todo o espaço que ele ocupa no seu corpo, os órgãos sejam pressionados. Não se assuste. Basta que você não se sobrecarregue: relaxe, levante um pouco os travesseiros na hora de dormir e não faça tarefas que exijam muito fôlego.

Além disso, temos algumas outras lembranças para você:

O que você não pode esquecer nas últimas semanas da gestação

  • É hora de preparar sua mala de maternidade: deixe pronta a mala com o enxoval do bebê para a maternidade. Se tiver alguma antecipação na data prevista do parto, você já tem tudo organizado
  • Faça um curso com seu parceiro: existem cursos preparatórios para o parto e para os primeiros dias do recém-nascido, que vão preparar pais e mães para momentos como o banho, trocas, cólicas, entre outros
  • Estude: a melhor forma de evitar dúvidas e preocupações é lendo muito sobre o assunto. Pesquise, leia, troque informações com outras mães
  • Instale o bebê conforto no carro: assim você já fica pronta para levar seu bebê para casa, depois que ele nascer
  • Escolha um pediatra: o pediatra irá acompanhar o parto e garantir a saúde do bebê, avaliando-o assim que nascer
  • Converse com o médico sobre o parto: você pode fazer um plano de parto ou apenas combinar com o seu médico sobre suas preferências. Lembre-se de ouvir suas recomendações: ele poderá avaliar o que é melhor para mamãe e bebê
  • Prepare sua casa: arrume o quarto do bebê e proteja os ambientes contra acidentes, como tapetes, quinas e tomadas
  • Prepare o chá de fraldas: estes momentos são incríveis para reunir a família e começar a gerar uma energia gostosa para receber o bebê - além de, claro, ajudar os pais a incrementar o seu enxoval
  • Faça fotos de gestante: fotos profissionais ou não, mas registre esse momento mágico. Você vai ter saudades do barrigão
  • Escolha o nome do bebê: algumas mães já sabem o nome do bebê antes mesmo de engravidar, mas, se não for o seu caso, a hora de escolher é agora. Assim, o papai já terá as informações necessárias para providenciar a certidão de nascimento, quando a hora chegar

- Mudanças na mamãe: do sétimo ao nono mês

Agora, o corpo da mamãe começa a se preparar para o parto. Com o crescimento do bebê, a barriga fica cada vez maior, causando desconfortos como dores nas costas, tornozelos inchados e falta de ar. 

Os seios estão mais inchadas e sensíveis. Nessa fase, pode acontecer do colostro (o leite produzido nos primeiros dias de amamentação) começar a vazar. O tamanho e o peso do bebê fazem pressão na bexiga, fazendo com a mãe tenha vontade de urinar com bastante frequência.

- Mudanças no bebê: do sétimo ao nono mês

Seu bebê já está todo com seu sistema todo formado, mas precisa crescer e ganhar peso. Entre 27 e 32 semanas, ele dobra de tamanho

Agora, o bebê já abre os olhos, percebe a luz fora do útero e identifica vários sons. Por isso, ao nascer, é comum que os bebês se acalmem quando ouvem a voz da mamãe - um som bastante familiar. 

Com 35 semanas, o bebê, assim como o corpo da mamãe, se prepara para o parto. Ele gira, ficando com a cabeça para baixo, estará pronto para nascer a qualquer momento a partir das 37 semanas. 

Ainda que com 40 semanas o bebê já esteja completamente preparado para viver fora do útero, ele poderá demorar mais duas semanas para nascer. Depende de cada gestação.

 

Conclusão

Semana a semana, a gravidez cria experiências para a mamãe e o bebê

 

O acompanhamento da gravidez semana a semana deve ser feito por um médico, com a realização do pré-natal. Assim, cada etapa de desenvolvimento do bebê e alteração física ou hormonal da mamãe poderão ser avaliados corretamente. 

 

Dividida em três trimestres, a gestação é um momento mágico, mas que também pode trazer desconfortos para algumas mulheres  em função das bruscas alterações no corpo. A melhor maneira de passar por esses momentos é procurando orientações e dicas - e entendendo o que isso significa para o seu bebê.

 

Assim, você pode curtir cada fase da sua gravidez semana a semana, percebendo as mudanças, controlando sua saúde e auxiliando para o desenvolvimento de um bebê saudável - e muito amado. 

 

Separamos outros artigos que podem ajudar na preparação para a chegada do bebê. Confira: 

   

Ficou alguma dúvida ou quer compartilhar a experiência de sua gestação conosco? Deixe um comentário!

 
Existem diversos exames importantes, tanto para a mãe, quanto para o bebê. Ao nascer, o Teste do Pezinho é um dos mais importantes. Quer saber mais sobre esse e outros exames importantes nos primeiros dias do bebê? Clique aqui e saiba mais!

Texto: Thaís Guimarães de Lima / Design: Alex Mendes

Fonte: Ministério da Saúde, Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), Mayo Clinic, A saúde dos nossos filhos - Departamento de Pediatria do Hospital Albert Einstein, e Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade - Sociedade Brasileira de Pediatria, 2010

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (6 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em