Cooperativismo

Cooperativismo

8 Junho 2009
Cooperativismo

É um movimento internacional que busca constituir uma sociedade justa, livre e fraterna, em bases democráticas, através de empreendimentos que atendam às necessidades reais dos cooperados e remunerar adequadamente a cada um deles.

Os valores do cooperativismo

As cooperativas se baseiam em valores de ajuda mútua, responsabilidade, democracia, igualdade, eqüidade e solidariedade. Os membros das cooperativas acreditam nos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação pelo seu semelhante.

Princípios do cooperativismo

São sete os princípios estabelecidos no século XIX e que norteiam até hoje qualquer cooperativa no mundo:

1. Adesão e desligamento voluntários: As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços, sem discriminação de sexo, classe, raça, política e religião.
2. Gestão democrática pelos membros: Os membros controlam a cooperativa e participam ativamente da formulação das políticas e da tomada de decisões. Os eleitos como representantes dos demais membros são responsáveis perante estes.
3. Participação econômica dos membros: Os cooperados contribuem eqüitativamente para o capital e controlam-no democraticamente. Parte desse capital é propriedade comum da cooperativa. Os membros recebem, habitualmente, uma remuneração limitada ao capital integralizado, como condição de sua adesão. Os excedentes destinam-se a uma ou mais das seguintes finalidades: a) desenvolvimento das suas cooperativas, eventualmente através da criação de reservas, parte das quais, pelo menos, será indivisível; b) benefício aos membros, na proporção das suas transações com a cooperativa; c) apoio a outras atividades aprovadas pelos membros.
4. Autonomia e independência: Se a cooperativa firma acordo com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorre à capital externo, deve fazê-lo em condições que assegure o controle democrático pelos seus membros e mantenha a autonomia da cooperativa.
5. Educação, formação e informação: As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros, dos representantes eleitos e dos trabalhadores. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.
6. Cooperação entre cooperativas: É lema das cooperativas atuarem em conjunto, através de suas representações locais, regionais, nacionais e internacionais. Tudo isso para dar força ao movimento cooperativista.
7. Interesse pela comunidade: As cooperativas devem trabalhar para o desenvolvimento sustentável das suas comunidades. Para tanto, aprovam políticas sociais junto a seus membros.


Símbolos do Cooperativismo:

• Círculo: eternidade;
• Pinheiro: imortalidade;
• Verde: vida;
• Amarelo: energia e calor.

A Unimed adotou o pinheiro e o verde em sua logomarca.

MEMÓRIA DO COOPERATIVISMO

A Cooperação sempre existiu nas sociedades humanas, desde as eras mais remotas, estando sempre associada às lutas pela sobrevivência, às crises econômicas, políticas e sociais, bem como às mudanças. Os melhores exemplos de cooperação aparecem quando se estuda a organização social dos antigos povos babilônios, gregos, chineses, astecas, maias e incas.
A cooperação econômica se fortaleceu no século XVI, com P.C. Plockboy, que idealizava a “cooperação integral” por classe de trabalhadores, e com Jonh Bellers, que procurava organizar “Colônias Cooperativas”, para produzir e comercializar seus produtos, na tentativa de eliminar o lucro que era apropriado pelos intermediários.
O Cooperativismo moderno surgiu junto com a Revolução Industrial, como forma de amenizar os traumas econômicos e sociais que assolavam a classe trabalhadora, com suas mudanças e transformações. Em 1971, foi editada a Lei Federal do Cooperativismo que normatizava todos os tipos de cooperativas, em vigor até os dias de hoje. Hoje, as cooperativas de trabalho e de prestação de serviços, somam, só no setor de saúde, 880 cooperativas, segundo a Organização das Cooperativas do Brasil - OCB.
- 21 de Julho de 1844, na Inglaterra - início do cooperativismo. Hoje, cerca de 40% da população mundial, ou seja, 2,4 bilhões de pessoas estão ligadas ao setor.
- No Brasil, o cooperativismo surgiu em 1947 e agrega, atualmente, 8% da população, ou seja, 15 milhões de pessoas. Anualmente, o dia 04 de Julho é dedicado ao Dia Internacional do Cooperativismo, instituído em 1923 no Congresso da Aliança Cooperativa Internacional (ACI).


"TODOS" é sempre mais forte do que "UM



O Que é uma Cooperativa e como funciona
 
• Cooperativa é uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente gerida.
• A administração da cooperativa é exercida por uma diretoria, um conselho de administração e um conselho fiscal, eleitos pelos associados. Esses administradores têm a obrigação de conhecerem a legislação vigente, serem líderes e verdadeiros conhecedores dos princípios norteadores do cooperativismo. Além da diretoria e do conselho fiscal, existem os órgãos auxiliares da administração, constituídos por comitês, comissões ou núcleos, com atribuições específicas.
• A Função da diretoria é executar o que tiver sido aprovado em assembléia geral e tem o poder de indicar uma diretoria executiva, integrada por três de seus membros, cuja função é administrar o dia-a-dia da cooperativa. Já ao conselho fiscal cabe fiscalizar, em nome dos demais associados, a administração do patrimônio e das operações da cooperativa.
• No sistema cooperativista, todas as decisões são tomadas em assembléia geral, onde os donos da empresa, ou seja, os seus associados, por meio do voto definem as diretrizes a serem tomadas no negócio. O princípio da democracia rege a assembléia geral e os votos dos sócios têm peso igual.
• O maior sistema cooperativo de trabalho médico do mundo é uma iniciativa brasileira que mudou o perfil da medicina suplementar no País: a Unimed.

Origem do Cooperativismo Médico no Brasil

O Sistema Unimed surgiu da visão de um grupo de 27 médicos e de seu desejo de contribuir para o crescimento da medicina em um momento de grandes transformações sócio-econômicas. Eles buscavam evitar a crescente descaracterização da sua profissão. Quarenta anos depois, a Unimed reúne mais de 103 mil médicos cooperados, cobrindo quase 80% do território nacional.

Primeiros Passos no Brasil

No fim dos anos 60, com a unificação do sistema de previdência pelo governo, caiu o padrão de atendimento da medicina pública. Expandiram-se então as empresas de medicina de grupo e as seguradoras, porém a remuneração proposta por elas era sofrível. Nesse contexto, ganhou forma o cooperativismo médico, como forma de eliminar a intermediação comercial na prestação de serviços médicos, dar mercado ao maior número possível de colegas e assegurar qualidade de fato na prática médica. A primeira Unimed foi fundada em Santos (SP), em 1967.
Desde então, o cooperativismo médico ganhou força e hoje o Sistema Unimed abrange praticamente todo o território nacional e as Unimeds consagraram-se como a maior cooperativa de trabalho médico do mundo, com 106 mil cooperados e 15 milhões de usuários em 4.125 quase todos os municípios brasileiros - 74,9% do território O sistema gera 32 mil empregos diretos e 290 mil indiretos no país e reúne 50% dos médicos brasileiros em atividade.