Voltar

Como incentivar a alimentação saudável

Como incentivar a alimentação saudável

Veja dicas de atitudes para incentivar os bons hábitos alimentares das crianças e adolescentes, e conheça substituições alimentares simples para colocar em prática

Como incentivar a alimentação saudável

12 Junho 2017
Uma série de pesquisas e estudos feitos no Brasil evidenciam a necessidade de incentivar a alimentação saudável e a prática de exercícios físicos entre crianças e adolescentes. Um dos exemplos é o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, divulgado em 2015 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o qual aponta que 25,5% dos adolescentes brasileiros de 12 a 17 anos estão com excesso de peso. Em relação aos hábitos na infância, a Pesquisa Nacional de Saúde (2013) do Ministério da Saúde, mostra que 60,8% das crianças menores de dois anos já comem bolachas recheadas.
 
Os pais têm papel fundamental na construção de bons hábitos alimentares. Ter esta preocupação e aplicar atitudes desde os primeiros anos de vida da criança são facilitadores para que ela aprenda a optar pelo que é mais saudável de forma natural. No entanto, sempre é tempo de promover a mudança em casa. Abaixo relacionamos algumas inspirações de trocas positivas e formas de incentivar a alimentação saudável
 
Bons hábitos alimentares na infância são incentivados pelos pais. Conheça os riscos que uma má alimentação pode trazer aos pequenos neste artigo, onde falamos sobre os perigos da obesidade infantil.
 

Ideias de substituições alimentares

  • Trocar açúcar refinado por açúcar mascavo ou demerara.
  • Sorvete por banana congelada batida.
  • Pipoca de micro-ondas por pipoca de panela.
  • Sucos de caixinha por água saborizada.
  • Queijo amarelo por queijo branco.
  • Sobremesa tradicional hipercalórica por salada de frutas.
  • Bolachas recheadas por biscoitos integrais.
  • Pão branco por pão integral.
 

5 formas de incentivo à alimentação saudável

 
• Evite que os pequenos tenham acesso a alimentos processados e ultraprocessados ricos em conservantes, corantes e com realçadores de sabor (salgadinhos, biscoitos industrializados, sopas instantâneas, pizzas congeladas, etc.). 
 
• O exemplo é uma das principais formas de incentivo, portanto, é importante oferecer alimentos saudáveis e, sempre que possível, fazer as refeições em conjunto, demonstrando concretamente que os pais também se alimentam de modo saudável 
 
• A indústria costuma caprichar nas embalagens dos alimentos voltados ao público infantil, com muito colorido e ilustrações ligadas ao universo das crianças. Em casa é importante investir nesta produção também, oferecendo alimentos saudáveis de maneira divertida, como frutas em espetinho e saladas em formato de desenho.
 
• Envolva as crianças no planejamento das refeições e preparação dos pratos. Questione, por exemplo: “você quer cenoura e beterraba ou alface e tomate?”, “hoje faremos suco de manga ou de mamão?”, “prefere macarrão com brócolis ou frango com legumes?”. 
 
• O Ministério da Saúde recomenda a ingestão diária de três porções de frutas. Para seguir a recomendação vale também preparar sucos e vitaminas. Confira nossa receita de vitamina energética feita à base de banana e maçã, e um delicioso suco antioxidante composto de manga e cenoura. 
 
LEIA TAMBÉM::: Dicas para o lanche escolar
LEIA TAMBÉM::: Reeducação Alimentar

Texto: Rafaela Fusieger / Ilustração: Ana Carla Bortoloni

Fonte: Ministério da Saúde / UFRJ

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (12 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em