Voltar

"Vacina salva vidas", alerta médica da Unimed Limeira

"Vacina salva vidas", alerta médica da Unimed Limeira

"Vacina salva vidas", alerta médica da Unimed Limeira

16 Janeiro 2021

Infectologista da Unimed Limeira há mais de 20 anos, Dra. Maria Beatriz Bonin Caraccio explica sobre a eficiência das vacinas e ressalta que a população deve estar bem informada e evitar notícias falsas sem comprovação científica que são espalhadas de forma irresponsável.

 

“As vacinas mudaram a história da humanidade. Evitaram doenças e muitas mortes ao longo dos tempos. Existem diversos tipos de vacinas, algumas reduzem o risco de ocorrência da doença enquanto outras impedem a ocorrência da doença”, destaca a médica.

 

Produzidas para reduzir o risco de ocorrência de doença grave e de óbito, há vacinas que não impedem que a doença aconteça. Mas elas reduzem as chances de ocorrer e impedem o aparecimento de formas graves e mortes. Por exemplo, a vacina de tuberculose.

 

“Existem vacinas que são produzidas para impedir a ocorrência de doenças. Exemplo disso é a vacina do sarampo.  A doença já tinha sido considerada extinta do nosso país. Entretanto, algumas pessoas dos movimentos “anti-vacina” resolveram que não iriam se vacinar. Acabaram entrando em contato com o vírus e a doença acabou ressurgindo e espalhando entre aqueles não vacinados” afirma Dra. Maria Beatriz.

 

Segundo ela, no caso das diversas vacinas contra a Covid-19, todas as que estão em uso mostraram-se altamente eficazes (quase 100% de eficácia) em prevenir doenças graves e mortes. Isto independe do fabricante. E também se mostraram eficazes em reduzir a ocorrência de doença, e portanto de reduzir a transmissão. Neste último caso, algumas parecem ser mais eficazes que outras até o momento em que estamos.

“O mais importante é que nenhum de nós quer ficar e nem ter qualquer membro da família gravemente doente, precisar de internação, de oxigênio, de ventilação mecânica e com isso ter alto risco de morrer”, ressalta.

 

Sobre as vacinas disponíveis contra a Covid-19, a infectologista reitera que elas são altamente eficazes. “Já que diminuem para quase zero a chance das pessoas terem doença grave”.

 

A médica infectologista faz um alerta para quando a vacina for liberada. “Vacine-se e leve os membros da família para vacinação. A vacinação em massa será fundamental para conseguirmos controlar a pandemia. Outra medida imprescindível enquanto o vírus estiver circulando: evite aglomerações, faça higiene de mãos frequente, não toque nariz, boca e olhos e use máscara corretamente cobrindo nariz e boca”.

Mesmo que tenha sido vacinado, é muito importante manter essas medidas preventivas até que todos estejam imunizados.