Voltar

Suicídio - prevenção e conscientização

Suicídio - prevenção e conscientização

Suicídio - prevenção e conscientização

24 Setembro 2018

“A cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no mundo”.

Esta informação espanta, mas também serve de alerta para o atual cenário mundial.

 

Para Maria de Fátima Castro Olberg, psicoterapeuta com especialidade clínica, é preciso encarar o suicídio como um grave problema de doença pública. “Prevenir deve ser uma prioridade não só dos órgãos internacionais, mas devem constar na agenda de políticos, com ações preventivas a esta que vem se tornando uma epidemia. Afinal, são registrados 800 mil suicídios por ano, sendo que 65 mil acontecem aqui na região das Américas. Ao entrarmos em contato com estes números, não podemos deixar de lembrar que é uma subnotificação. Ou seja, estes números são maiores”, destaca.

 

Fatos alarmantes:

  •     Cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos;
  •     Para cada morte relacionada, há muito mais pessoas que tentam o suicídio a cada ano. A tentativa prévia é o fator de risco mais importante para o suicídio na população em geral;
  •     O suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos;
  •     79% dos suicídios no mundo ocorrem em países de baixa e média renda;
  •     Ingestão de pesticidas, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns de suicídio em nível global.

 

Algumas pistas que devem ser consideradas para avaliar o risco de suicídio:

  •     Tristeza excessiva e falta de vontade para estar com outras pessoas;
  •     Alteração repentina do comportamento com uso de roupa muito diferente do habitual, por exemplo;
  •     Tratar de vários assuntos pendentes ou fazer um testamento;
  •     Demonstrar calma ou despreocupação depois de um período de grande tristeza ou depressão;
  •     Fazer ameaças de suicídio frequentes.

 

Caso estas pistas sejam observadas, a psicóloga aconselha atenção especial para a frequência de falas como “vontade de sumir”, “a vida não tem sentido”, “não vale a pena estar aqui”, “estou cansado de viver”, por exemplo. “Vale esclarecer que o dito popular: cão que ladra não morde, não funciona para o suicídio. Sim, a pessoa dá sutis avisos, até que obtém sucesso. Ficar julgando se é manipulativo não cabe para um leigo, pois mesmo a manipulação é um pedido de ajuda”, completa.

“A todos que neste instante sentem-se oprimidos, tristes, acreditando que a morte é única possibilidade, permita-se pensar: Um dia de cada vez.”

 

“Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria
Que se possa imaginar, amanhã redobrada a força
Pra cima que não cessa, há de vingar
Amanhã mais nenhum mistério, acima do ilusório
O astro rei vai brilhar, amanhã a luminosidade
Alheia a qualquer vontade, há de imperar, há de imperar
Amanhã está toda a esperança por menor que pareça
O que existe é pra vicejar, amanhã apesar de hoje
Será estrada que surge, pra se trilhar
Amanhã mesmo que uns não queiram será de outros que esperam
Ver o dia raiar, amanhã ódios aplacados temores abrandados sera pleno
Pleno!
Pleno!"

(Guilherme Arantes)

 

*fonte: OMS