Voltar

A importância da vacinação

A importância da vacinação

Manter a imunização em dia ajuda na prevenção de doenças tanto em adultos quanto em crianças

A importância da vacinação

4 Dezembro 2017

Atualmente, o Ministério da Saúde disponibiliza para a população 19 tipos de vacinas. Manter a caderneta de vacinação atualizada é importante para evitar doenças como as causadas pelo vírus HPV, principal fator de risco para o câncer de colo de útero.

 

 

 

A vacina estimula o sistema imunológico a criar anticorpos contra os agentes causadores da enfermidade, garantindo proteção contra a doença. 

 

Doenças mais comuns nas décadas passadas, como a poliomielite, sarampo, rubéola, tétano e coqueluche, estão atualmente controladas no Brasil graças a vacinação.  Mas isso não significa que a vacina contra essas doenças não deva ser realizada. Algumas delas, apesar de já estarem controladas, ainda são comuns em outros países e podem ocorrer mesmo entre nós, porque o grau de imunização pode não ser o adequado para todas as pessoas. Além disso, a globalização facilita a transmissão da doença pelo mundo e pessoas que não forem vacinadas ficam sujeitas a contrair a doença e contribuem para disseminá-la.

O atual Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde inclui a campanha da Influenza, realizada no início do outono; a campanha de atualização da caderneta; e a campanha contra o sarampo. Além disso, há também um programa específico para a comunidade indígena. Acompanhar esses calendários é importante para garantir a imunização nos períodos mais críticos de proliferação das doenças como é o caso da gripe.

 

Adultos também precisam se vacinar! 

 

As primeiras vacinas administradas quando a criança nasce são contra a tuberculose (BCG) e contra a Hepatite B, mas outras serão aplicadas ao longo da infância e vida adulta. No entanto, algumas doenças e, até mesmo, no início da terceira idade, podem deixar a pessoa mais suscetível a doenças graves causadas por infecções comuns como a gripe, sendo, portanto, necessária a aplicação de outras vacinas, ou mesmo dar doses de reforço para algumas já aplicadas anteriormente.

Além disso, você sabia que o seu estilo de vida, região onde mora e idade, por exemplo, podem indicar a necessidade de vacinas específicas? O Centro para Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) disponibiliza em seu site um questionário que permite conhecer as vacinas que são necessárias conforme a idade, viagens a serem realizadas, doenças adquiridas e hábitos. As vacinas recomendadas não correspondem necessariamente ao calendário do Ministério da Saúde e podem não estar disponíveis gratuitamente pelo SUS. Há duas versões de questionário – adultos e crianças – e ambos estão disponíveis em inglês.

Consulte o médico para avaliar a necessidade da aquisição de vacinas não ofertadas gratuitamente pelo SUS como a meningite meningocócica A, C, W e Y, dengue, cólera, entre outras. 

 

Texto: Jailde Barreto / Design: Carolina Moura

Fonte: Ministério da Saúde e Centers for Disease Control and Prevention (CDC)

Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico-científico do Portal Unimed.


Média (2 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.