Voltar

Novo Jeito de Nascer

Novo Jeito de Nascer

Palestra sobre alívio não farmacológico e analgesia de parto reúne gestantes clientes da Unimed Maceió

Novo Jeito de Nascer

Palestra sobre alívio não farmacológico e analgesia de parto reúne gestantes clientes da Unimed Maceió

20 Fevereiro 2020

Barbara Esteves
Assessora de Comunicação

Além da ansiedade, fruto de cada novidade e descoberta durante a gestação, existe um medo presente no pensamento de grande parte das gestantes: a dor da hora do parto. Essa e outras questões foram abordadas no encontro Novo Jeito de Nascer da Unimed Maceió, que aconteceu na noite de ontem, 19, no auditório do Centro Integrado de Atenção à Saúde (CIAS), reunindo clientes gestantes e seus acompanhantes.

“A dor do parto é uma dor necessária, que vira força. Uma dor que transforma uma mulher em mãe. Uma dor que, ao primeiro choro de seu tão esperado e amado bebê, é logo esquecida, dando lugar à mais genuína felicidade”, afirmou a coordenadora médica do Novo Jeito de Nascer, Dra. Robertta Lins.

A fisioterapeuta Rosinete Brito esclareceu dúvidas sobre as opções para o alívio não farmacológico da dor e exemplificou alguns exercícios, posições, danças e alongamentos para dar mais conforto à futura mamãe. “É importante deixar a gestante bem à vontade para escolher como ela se sente melhor. Ela é quem irá conduzir a forma que iremos trabalhar para aliviar suas dores”, afirmou.

Já o médico anestesiologista, Dr. Ronaldson Bernardo, explicou os tipos de procedimentos para a analgesia. “É importante destacar que não é porque foi utilizado um procedimento de alívio farmacológico que ela terá um parto cesáreo. A analgesia serve para ser um complemento ao trabalho de parto, quando a mulher se sente à vontade para essa opção”, esclareceu.

A noite também contou com o emocionante depoimento de uma mãe que passou pelos dois métodos para alívio da dor, os exercícios e a analgesia. Maria Norma Sobral, mãe da pequena Betina Maria, agora com dois meses, compartilhou a sua experiência com as futuras mamães e seus parceiros.

“Sempre quis ter parto normal. Encontrei um anjo que foi meu obstetra, que me incentivou bastante. Durante o trabalho de parto, ele me deixou à vontade para escolher qual posição e exercício que me deixava mais relaxada e, a cada contração, fui evoluindo. Quando não aguentei mais as dores, pedi analgesia, mas meu médico reforçou: será parto normal. Eu concordei e depois de receber a analgesia consegui forças para ter meu bebê. Quando escutei o choro dela, foi muito gratificante tudo o que passei”, relatou Maria Norma.

Sobre o programa

A Unimed Maceió, através do programa Novo Jeito de Nascer, faz parte do projeto Parto Adequado, desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde. O objetivo é identificar modelos inovadores e viáveis de atenção ao parto e nascimento, que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas sem indicação clínica, oferecendo às mulheres e aos bebês o cuidado certo, na hora certa, ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e pós-parto.

Para saber como participar, basta ligar para 3194-2700 ou 99958-6340 ou acessar http://jeitodenascer.unimedmaceio.com.br.