Voltar

Paciente internado no Hospital Unimed recebe visita de cachorrinha de estimação

Paciente internado no Hospital Unimed recebe visita de cachorrinha de estimação

Iniciativa inédita no hospital leva alegria e ajuda no bem-estar de aposentado

Paciente internado no Hospital Unimed recebe visita de cachorrinha de estimação

Iniciativa inédita no hospital leva alegria e ajuda no bem-estar de aposentado

25 Maio 2019

Foi um encontro esperado. Planejado nos mínimos detalhes. A saudade era grande e a emoção tomou conta do aposentado Weêdmas Sena Monteiro, 58. Internado há dez dias no Hospital Unimed, ele recebeu na manhã deste sábado (25) a visita de sua cachorrinha Teka, uma Yorkshire Terrier de oito anos. “Eu chorei quando ela chegou”, diz Weêdmas.

Com dificuldade para se alimentar em decorrência de um câncer de peritônio (uma membrana fina que envolve os órgãos do abdômen), Weêdmas precisou ser hospitalizado. São quase duas semanas de cuidados médicos, carinho da família e amor da esposa, Adriana Almeida.

Mas, desde o início da internação, bateu aquela saudade, a falta da pequena Teka, companheira quase inseparável. “Ela dorme com a gente e só sai do quarto quando ele acorda e se levanta”, conta Adriana.  

“No terceiro dia de internação, a saudade bateu e entendi como é forte a amizade que sentimos pelos animais. E como a reciprocidade é verdadeira”, afirma Weêdmas.

Então, o que fazer para matar essa saudade? Já que o aposentado ainda não pode ir para casa, que tal levar a Teka para visitá-lo no hospital? Foi aí que começou todo o planejamento para promover esse encontro.

Dra. Sarah Dellabianca, médica coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Hospital Unimed, emitiu um informe técnico com os requisitos que o paciente deve atender para receber esse tipo de visita e as condições exigidas para que o animalzinho possa entrar no hospital. Como Weêdmas se enquadra neste perfil, foi autorizado a receber a pequena Teka.

Adriana conta que as solicitações feitas pelo hospital foram atendidas. Teka está com a vacinação em dia, foi higienizada antes da visita e tem um laudo da veterinária que atesta sua boa condição de saúde.

Foram observados ainda os requisitos de ser levada no colo, não circular nas áreas comuns do hospital, apenas na entrada e saída, não ter contato com outros pacientes e, se houver dejetos, a limpeza deve ser feita pelos profissionais de higienização do Hospital Unimed. Uma vez no quarto, Teka fica livre para brincar com o tutor.

Na manhã deste sábado, Teca chegou para fazer a alegria do aposentado. Ela passou o tempo todo ao lado dele, na cama. Cada vez que uma enfermeira ou médica entrava no quarto, Teka se sentava e dava boas-vindas com a língua de fora. “Eu ganhei o dia!”, diz um sorridente Weêdmas.

Dra. Sarah diz que é visível o bem-estar do paciente que recebe a visita de animais. “A terapia de apoio com animal já é bem estabelecida na literatura médica, de enfermagem e de psicologia no mundo todo. Não é um tratamento curativo e sim um tratamento adjuvante que contribui para o bem-estar do paciente. Pode ser feito com equinos, caninos e felinos. Em cidades como o Rio de Janeiro, por exemplo, existe uma lei que permite a entrada dos animais em hospitais”, explica.