Voltar

Semana Mundial de Alergia orienta população

Semana Mundial de Alergia orienta população

A ação tem o objetivo de conscientizar sobre diagnóstico, tratamento e prevenção das alergias

Semana Mundial de Alergia orienta população

A ação tem o objetivo de conscientizar sobre diagnóstico, tratamento e prevenção das alergias

9 Abril 2019

A Semana Mundial de Alergia começou no último domingo (7). A ação tem o objetivo de conscientizar a população sobre diagnóstico, tratamento e prevenção das diversas formas de alergias. Este ano, o tema escolhido foi Alergia Alimentar: Um Problema Global. Em Maceió, o início da campanha será na orla de Ponta Verde, a partir das 9h. Haverá panfletagem, orientação médica e degustação de alimentos.

A programação prossegue durante toda a semana. Em consultórios e clínicas de alergia de Maceió serão distribuídos panfletos e haverá exposição de banners. No período de 9 a 11, as ações serão realizadas no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes. No cronograma estão palestras do médico alergista Dr. Iramirton Moreira, secretário da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) em Alagoas, panfletagem, orientação sobre alergia alimentar e degustação de alimentos e fórmulas infantis.

Dia 10, a alergista Dra. Rosa Gaia fala sobre o tema com os alunos do Colégio Madalena Sofia. A palestra começa às 9h. A Semana Mundial de Alergia também será divulgada em Arapiraca e Coruripe, interior de Alagoas.

Dr. Iramirton Moreira, que também é médico cooperado da Unimed Maceió, destaca a importância da campanha e explica o que é a alergia. “É uma reação que o organismo apresenta contra determinados alimentos, como o ovo, leite e amendoim, por exemplo. As reações podem ser leves, com simples coceira nos lábios, até mais graves, incluindo comprometimento de vários órgãos e potencial risco de óbito”.

O médico ressalta ainda que não existe medicamento para evitar a alergia alimentar. “O que existe é tratamento para as reações alérgicas”, diz. 

 

O que você precisa saber sobre alergia alimentar

Já pensou comer algo e começar a passar mal? É isso o que pode acontecer com quem tem alergia alimentar, um problema de saúde que vem crescendo no Brasil e no mundo. Médica da Comissão de Assuntos Comunitários da Asbai e cooperada da Unimed Maceió, Dra. Rosa Maria Maranhão Casado responde a 4 perguntas sobre o tema. Confira!

O que é alergia alimentar?

É uma reação exagerada do organismo a determinada proteína presente no alimento, reconhecida como uma “inimiga”. Pode causar prurido no corpo (coceira), eczemas, urticárias, angioedema (inchaço sob a pele), sintomas gastrointestinais e respiratórios. Em alguns casos, ocorre a anafilaxia ou choque anafilático, reação mais grave da alergia e que pode até matar.

Qual a importância de alertar sobre a alergia alimentar?

A alergia alimentar tem sido reconhecida como um problema de saúde que vem crescendo no Brasil e no Mundo – afeta de 6% a 8% das crianças e de 2% a 3% dos adultos. É importante orientar a população para reconhecer os primeiros sintomas, que podem surgir em segundos e até duas horas após a ingestão de um alimento. E que devem ser tratados imediatamente.

Como é feito o tratamento?

O tratamento depende dos sintomas e da sua gravidade. São utilizados medicamentos específicos (anti-histamínico, corticoide e adrenalina). O importante é reconhecer o agente causal, e orientar o paciente e seus familiares para evitar novos contatos com os alimentos desencadeantes. É importante também ler atenciosamente os rótulos dos alimentos industrializados e embutidos.

Quais as recomendações para quem tem alergia alimentar?

Quem tem alergia alimentar deve ser orientado pelo médico especialista em alergia. Assim, a pessoa recebe informações de substituições adequadas de alimentos e uma dieta saudável, que vai prevenir situações de emergência, melhorar a qualidade de vida e estimular a integração social.