Voltar

5G no Brasil

5G no Brasil

Mudanças e inovações para um mundo mais tecnológico.

5G no Brasil

Mudanças e inovações para um mundo mais tecnológico.

17 Julho 2020

A novidade do 5G chegou ao Brasil neste semestre e foi marcada por um grandioso evento no Allianz Parque, em São Paulo, promovido por uma operadora brasileira de celular. E para demonstrar como essa nova tecnologia pode significar uma enorme mudança em diversas áreas, a empresa montou a primeira apresentação holográfica de um músico em tempo real já vista no Brasil.

Quem participou na forma de holograma foi o músico Lucas Lima, que abriu o espetáculo, sem aparecer fisicamente no palco, mas sim, projetado como uma holografia transmitida em tempo real. Em outras palavras, não era uma gravação, mas ele realmente estava tocando ao vivo, apenas não estava presente fisicamente no palco. 

O que é o 5G e o que ele promete? 

Especialistas afirmam que a nova tecnologia promete uma mudança ainda maior no que conhecemos como conexão, uma vez que diz aumentar em até 100 vezes, a velocidade atual da internet, sem a necessidade de fibra. 

Por exemplo, um filme de 2 horas que demorava em média 6 minutos para baixar em 4G, levaria apenas 3,6 segundos no 5G, ou seja, é tudo imediato, sem espera. Porém, o 5G não se trata apenas velocidade.

O mais importante desta velocidade é o fato de que o mundo vem duplicando o volume total de dados a cada 18 meses. Com o 5G será possível obter um maior ganho de performance, possibilitando o gerenciamento de dados de uma maneira mais eficiente, o que resultará em transformações nunca vistas em nosso mundo.

Por exemplo, carros autônomos, a internet das coisas (IoT) em escala industrial passando pelo boom da impressão 3D para uso de móveis, estão entre as apostas que prometem mudar a dinâmica no mundo no futuro, mas entre todas as sugestões e hipóteses, a mais comum para os especialistas é a mudança radical na área da saúde.

Os impactos na área da saúde: o que esperar?

Dentre as principais mudanças do 5G na área da saúde, destacamos o atendimento emergencial e a telemedicina. Vamos falar um pouco sobre cada. 

Um grande exemplo disso aconteceu em Agosto do ano passado, na China, com uma paciente de 36 anos, que passou por uma cirurgia realizada por uma equipe médica que estava à mais de 100km de distância do local do procedimento.

Os cirurgiões foram capazes de manejar tudo com ferramentas robóticas de forma remota. E isto só foi possível porque, cerca de dois meses antes, a conexão de alta velocidade 5G começou a operar no país.

Além de aumentar a velocidade de download e upload na rede, essa nova tecnologia reduz drasticamente o tempo de reação entre o comando e a ação de dispositivos conectados a ele. Este fator torna uma série de processos mais seguros, como foi o caso na China, em que as ações do robô aconteceram praticamente em tempo real após o comando do médico.

No caso do atendimento emergencial, é possível ver os benefícios dessa novidade. Além de guiar os paramédicos ao longo do trajeto, os médicos no hospital já se prepararam para o caso antes mesmo que o paciente chegue ao local, promovendo maior bem-estar para os pacientes e facilitando o trabalho dos médicos, que poderão acompanhar remotamente mesmo quando não estão de plantão.

A realidade no Brasil

Inicialmente, a nova tecnologia será lançada em alguns bairros de São Paulo e Rio de Janeiro, utilizando a rede existente que atende 4G, onde as antenas compatíveis irão liberar velocidade maior quando detectarem aparelhos compatíveis ao 5G (por enquanto, apenas o recém-lançado Motorola Edge é o único aparelho disponível para venda no Brasil que traz a função).

Para que se inicie o uso massivo da tecnologia, será necessário esperar o leilão da Anatel com novas frequências, previsto para 2021, que foi adiado, devido a pandemia do coronavírus. Quando o leilão for realizado, o governo brasileiro terá que optar pela Huawei da China ou suas concorrentes, as europeias Ericsson e Nokia, apoiadas pelos Estados Unidos, que acusa a Huawei de praticar espionagem para o regime comunista de Pequim.

Este dilema está presente em vários países do mundo. O Reino Unido, por exemplo, anunciou a exclusão da Huawei de sua rede 5G, alegando riscos à segurança do país. Em contrapartida, o grupo chinês lamentou a decisão, classificando-a como politizada e decepcionante.

Enquanto assistimos a guerra comercial entre China e Estados Unidos, onde a implantação desse sistema tornou-se um capítulo central, fica a reflexão sobre as vantagens e desvantagens deste novo modelo tecnológico que chega com promessas de um mundo novo.

Qual a sua opinião?