Voltar

Glaucoma: sintomas e prevenção

Glaucoma: sintomas e prevenção

O Dia Nacional de Combate ao Glaucoma reforça que diagnóstico precoce é a melhor maneira de prevenção

Glaucoma: sintomas e prevenção

O Dia Nacional de Combate ao Glaucoma reforça que diagnóstico precoce é a melhor maneira de prevenção

31 Maio 2021

 

Na última quarta-feira, 26 de maio, foi comemorado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, data que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) foi criada para conscientizar sobre a prevenção e o tratamento da doença que se não descoberta a tempo, pode levar à cegueira total.

Dra. Luciana Ottaiano Cerântola de Almeida, oftalmologista cooperada da Unimed Marília define o glaucoma da seguinte forma: “É uma doença caracterizada por lesão das fibras nervosas que formam o nervo óptico, geralmente associado ao aumento da pressão intraocular. Leva a perda do campo visual de maneira progressiva e é a principal causa de cegueira irreversível no mundo”.

Existem alguns tipos de glaucoma com sintomas distintos:
O glaucoma de ângulo fechado, que ocasiona pressão alta e outros sintomas como: olhos muito vermelhos e dores no olho e na cabeça.
O glaucoma congênito, que é hereditário, é detectado nos primeiros dias de vida dos bebês e é tratado por meio de uma cirurgia para evitar uma cegueira futura.
O glaucoma crônico (ou de ângulo aberto) que abrange a maioria dos casos, é uma doença muitas vezes assintomática e silenciosa nas fases iniciais, surgindo alterações como perda do campo visual ao longo do tempo. O paciente não percebe que a doença está progredindo.


Dois sinais merecem a atenção: pressão intraocular acima da média e alterações no nervo ótico perceptíveis no exame de fundo de olho, associados nos casos de glaucoma de ângulo fechado.

O lacrimejamento é um sintoma existente em diversas patologias oculares e pode estar presente também em casos de glaucoma congênito.

O glaucoma pode também estar associado a algumas doenças, entre elas a diabetes.

Apesar de existir o glaucoma infantil, a Dra. Luciana explica os casos mais frequentes “É mais frequente em idades avançadas, mas pode ocorrer em qualquer idade, inclusive a forma congênita já se apresenta no nascimento e o glaucoma infantil já nos primeiros anos de vida”. Fatores hereditários influenciam no aparecimento “A história do glaucoma na família é um fator de risco importante a ser observado. Caso tenha parentes em primeiro grau com a doença é de extrema importância a realização de consultas preventivas”, esclarece.

Não existe cura para o glaucoma, porém, é possível fazer o controle por meio de tratamentos específicos para cada tipo feitos com colírios, após o diagnóstico “O objetivo do tratamento é controlar a pressão do olho, resultando no controle da progressão da doença. Nos casos em que o glaucoma permanece em progressão, o mais indicado é o tratamento cirúrgico com laser ou cirurgia trabeculactmia”, assegura.

Quanto mais precoce for o diagnóstico do glaucoma, maiores serão as probabilidades de se evitar a perda da visão. Consultas anuais com o oftalmologista podem salvar a visão dos pacientes.

 

Regiane Marques