Voltar

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Entenda a doença e saiba como se prevenir.

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Entenda a doença e saiba como se prevenir.

27 Maio 2020

Em 26 de abril é celebrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, uma data importante, tendo em vista que, no Brasil, a doença atinge cerca de 35% da população, dentre crianças, adultos e idosos de ambos os sexos.

A doença está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular pelo corpo. Nesse caso, o estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Considerada uma doença crônica e sem cura (exceto em casos de alguns tumores raros), a hipertensão é silenciosa, já que os sintomas se manifestam quando a pressão já está muito alta, excedendo o limite máximo. A partir de então, os pacientes podem sentir dores no peito, na cabeça, fraqueza, tonturas, visão turva, sangramento nasal e chegam a desmaiar. Além disso, ela pode gerar consequências graves, como enfarte de miocárdio, derrame cerebral e a morte instantânea.

Entretanto, a hipertensão pode – e deve – ser controlada com mudanças no estilo de vida e a administração de medicamentos adequados. A hipertensão é genética, mas também pode ser provocada por maus hábitos, tais como excesso de sal, de peso, de uso de álcool e sedentarismo.

O que você precisa saber sobre hipertensão

Fonte: Unimed Brasil

_ Para saber se você é hipertenso, é necessário ter a sua pressão medida por um profissional capacitado, em mais de uma oportunidade. O ideal é que você descanse por 30 minutos antes de medir a sua pressão. Lembre-se que a pressão pode variar durante o dia

 

_ A pressão alta é diagnosticada após ser medida várias vezes em igual ou superior a 14 por 9. A elevação ocorre porque os vasos por onde o sangue circula se contraem e fazem com que a pressão do sangue se eleve. Ela é considerada normal quando a pressão sistólica (máxima) não ultrapassa 130 mmHg e a diastólica (mínima) é inferior a 85 mmHg.

 

_ Normalmente, a hipertensão não tem sintomas. Quando eles aparecem, podem ser facilmente relacionados a outras doenças porque são vagos e inespecíficos. Não espere o sinal aparecer, meça a sua pressão com frequência. O sal pode interferir no aumento da pressão arterial, já que ele faz o corpo reter mais líquido. Segundo a SBEM, não existe a necessidade de os hipertensos se alimentarem apenas de comida sem sal, basta evitar o exagero. Quem tem pressão alta deve ficar atento, também, a alimentos ricos em sódio, como os refrigerantes “zero açúcar”, além de conservas (picles, azeitona, maionese e ervilha), alimentos embutidos (salsicha, mortadela, lingüiça, presunto, salame e paio), carnes salgadas (bacalhau, charque, carne-seca e defumados) e queijos em geral.

 

_ Quer saúde? Vá para a academia ou capriche na prática da atividade física em casa ou na rua. O exercício ajuda a baixar a pressão, taxas de gordura e o açúcar no sangue. Além disso, eleva o bom colesterol, controla o peso, diminui a tensão emocional e pode aumentar a autoestima.

 

_ Alguns pacientes desenvolvem a “Síndrome do Avental Branco”: só manifestam a pressão alta quando a medem no consultório médico ou diante de um profissional da saúde. Causada pelo nervosismo, não se mantém elevada em outras ocasiões.

 

_ Quem sofre de hipertensão e não trata, pode desenvolver doenças graves, como insuficiência renal, AVC e alterações no coração como hipertrofia de ventrículo esquerdo.

 

Acesse a Cartilha referente ao tema

 

Conheça o Programa de Controle da Hipertensão do Espaço Viver Bem