Voltar

Mês de abril comemora a luta pela conscientização do autismo

Mês de abril comemora a luta pela conscientização do autismo

Diagnóstico precoce do transtorno é indispensável para o sucesso do tratamento

Mês de abril comemora a luta pela conscientização do autismo

Diagnóstico precoce do transtorno é indispensável para o sucesso do tratamento

16 Abril 2021

 

No final de 2007, a Organização das Nações Unidas (ONU), definiu o dia 2 de abril como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, também conhecido como Transtorno do Espectro Autista (TEA). O intuito da data é alertar sobre este transtorno do neurodesenvolvimento, bem como esclarecer dúvidas e reduzir o preconceito contra os indivíduos que apresentam o TEA.

De acordo com a ONU, atualmente o transtorno no desenvolvimento do cérebro afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo. No dia 02 de abril diversas atividades de conscientização são realizadas em todo o mundo, dentre elas prédios públicos e os principais pontos turísticos são iluminados com a cor azul para lembrar a data e chamar a atenção da população sobre o TEA.

O tema da campanha nacional deste ano “Respeito para todo o espectro”, vem sendo divulgado para celebrar a data com a hashtag #respectro nas redes sociais.

Transtorno do Espectro Autista
Ainda na infância é possível detectar o Transtorno do Espectro Autista (TEA), que se manifesta de diferentes maneiras em cada pessoa. A ONU afirma que suas causas ainda não são bem conhecidas, porém fatores genéticos estão envolvidos.

As pessoas com esse transtorno apresentam dificuldade de comunicação de interação social, bem como comportamentos e/ou interesses restritivos e/ou repetitivos. 

Além da dificuldade na fala e interação existem outros sinais que sugerem o TEA e podem ser percebidos no primeiro ano de vida da criança: pouco contato ocular, não manter o olhar sustentado, demonstrar mais interesse por objetos do que por pessoas, não responder ao nome e também sentir incômodo exagerado a sons altos. Observar estes sinais podem ajudar o profissional a detectar o Transtorno.

Existem pessoas com TEA que apresentam habilidades acima da média em matemática, artes, música e também com ótima capacidade de memória. 

É um transtorno complexo com particularidades diferentes para cada um, fazendo com o que o tratamento seja também individual. Apesar do TEA não ter cura, as terapias ajudam muito no desenvolvimento e quanto mais cedo iniciar o tratamento, melhores são os resultados.