1. Assistência Farmacêutica

Assistência Farmacêutica é um grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, promovendo o acesso da população aos medicamentos ofertados pelo serviço, assegurando o uso racional de medicamentos, permitindo que o paciente atinja os objetivos terapêuticos desejados, tenha adesão ao tratamento, evitando assim problemas relacionados aos medicamentos.

Quais são as diferenças entre comprimidos, drágeas e cápsulas?

Comprimidos são obtidos pela mistura do princípio ativo em pó com substâncias que dão liga, como o amido ou a goma arábica. Então esse pó é compactado até ficar uniforme e tomar o formato de um comprimido. 

Drágeas são bem similares aos comprimidos, a diferença está em uma película externa que elas possuem, que impede a degradação dos seus compostos.

Cápsulas são revestidas de um material gelatinoso para proteger o conteúdo interno do ar, luz e umidade.

Posso cortar comprimidos ou abrir cápsulas?

Em sua maioria os comprimidos não devem ser partidos, pois o risco de alteração de dosagem é grande, mesmo usando utensílios de corte de comprimidos.

Além de alterar a dosagem, o ato de partir pode expor o medicamento aos fatores do ambiente externo (ar, luz e umidade) gerando degradação e redução da eficácia.

A parte externa da cápsula serve para proteção, tanto do medicamento, quanto para o organismo, não sendo recomendável o ato de abrí-las.

Além disso, existem comprimidos de liberação prolongada que tem o papel de liberar, de forma gradativa, ou seja, aos poucos, o princípio ativo do fármaco, sendo assim, se o comprimido for partido, mastigado ou triturado terá o sistema de liberação alterado, não obtendo o efeito da forma que deveria.

Existem também comprimidos produzidos para que sejam utilizados via sublingual, os quais são utilizados abaixo da língua, o que permite uma absorção mais rápida quando comparado com os demais comprimidos de consumo oral.

Onde devo guardar os medicamentos?

  1. Recomenda-se que o medicamento seja mantido em sua embalagem original, protegidos de luz, calor e umidade e em locais longe do alcance de crianças e animais de estimação.  Os medicamentos podem ser armazenados em uma caixa organizadora, ou se preferir, reservar um espaço no armário específico para eles. 
  2. Ao receber seu medicamento observe quais são as condições ideais para o seu armazenamento, geralmente esta informação estará impressa na embalagem do próprio medicamento, caso fique na dúvida ou necessite de auxílio converse com o seu Farmacêutico.
  3. Não guardar seu medicamento no banheiro, devido ao excesso de umidade, bem como, próximo a janelas onde o sol possa bater. Caso opte por guardar medicamentos na cozinha evite que seja próximo de geladeira, fogão, forno elétrico ou micro-ondas devido ao excesso de calor gerado por esses eletrodomésticos. Não esqueça seu medicamento no carro, o excesso de calor pode alterar suas propriedades e reduzir sua eficácia.
  4. Existem medicamentos que precisam ser mantidos a temperatura ambiente e outros que são sensíveis à temperatura e requerem armazenamento sob refrigeração (geladeira) entre 2 a 8ºC.
  5. Caso o seu medicamento precise ser armazenado em geladeira não guarde na porta da geladeira e nem próximo ao refrigerador. Busque um local que tenha menor variação de temperatura, por isso o recomendado é sempre colocá-lo na região mais central da geladeira, conforme imagem abaixo (observe nas imagens as áreas 2 e 3).
  6. Caso precise transportar o medicamento que está na geladeira, sempre utilize caixa ou bolsa térmica com gelo reciclável congelado, conforme exemplo abaixo.

Como jogar fora medicamentos vencidos e sem uso?

Os medicamentos nunca devem ser jogados no lixo comum ou no vaso sanitário. Por se tratar de produtos químicos, prejudicam o meio ambiente.

Para isso, alguns serviços de saúde, como as farmácias disponibilizam coletores específicos para a coleta. Faça o descarte correto e proteja o meio ambiente.

O que é a interação medicamentosa? 

É uma resposta do organismo causada pela combinação do uso de diferentes medicamentos. A interação medicamentosa pode resultar em um aumento ou diminuição da efetividade terapêutica.

As interações medicamentosas podem ocorrer, por exemplo, entre medicamentos, entre medicamentos e alimentos, entre medicamentos e chás ou vitaminas

Medicamentos durante a gravidez e o período de amamentação o que fazer? 

Os medicamentos podem atravessar a placenta e afetar o bebê que está em formação na sua barriga podendo causar malformações, alterações bioquímicas e de comportamento.

Os 3 primeiros meses de tratamento é o período de maior risco, mas os medicamentos podem afetar o bebê em qualquer estágio da gravidez, por isso, consulte sempre seu Médico ou Farmacêutico. 

Durante a amamentação também é preciso tomar alguns cuidados quanto ao uso de medicamentos, pois existem medicamentos que podem ir para o bebê através do leite materno e ser prejudicial para a criança.

 

2. Orientações Importantes para o Uso Racional de Medicamentos

Antes de falarmos de doenças e medicamentos, é bom lembrar que, para uma boa saúde, não podemos esquecer de algumas condutas importantes. Como:

1. Ao armazenar seu medicamento evite organizadores de comprimidos em que você precise tirar o comprimido da embalagem original para colocar dentro. Caso opte pelo uso destes organizadores é necessário manter o medicamento em sua embalagem original para assim garantir a sua qualidade e eficácia do medicamento. 

2. Utilize uma tabela ou uma agenda com os horários dos seus medicamentos e fixe na porta da geladeira com um imã. Seguem modelos de tabelas:

3. Ao ir ao Médico ou conversar com o Farmacêutico tenha sempre em mãos a lista atualizada dos medicamentos que faz uso em casa, inclua nesta lista medicamentos utilizados para dores, vitaminas, fitoterápicos (a base de plantas), homeopáticos e chás. Informe se você já teve algum problema ou alergia relacionado ao uso de algum medicamento. Os medicamentos podem interagir um com outro e isso pode trazer sérios danos à sua saúde. Ao receber uma receita saiba:

    • Quais são os nomes dos medicamentos receitados, a dose e horário a ser tomado.
    • Para que serve cada medicamento.
    • Por quanto tempo precisará tomar o medicamento.
    • O que mudou no seu tratamento.
    • Se o alimento interfere com o medicamento (tomar em jejum ou após uma refeição?)

4. Se durante o tratamento você apresentar alguns sinais ou sintomas como náuseas e/ou vômitos, gosto ruim na boca, diarreia, excesso ou perda de sono, alterações de humor, alterações visuais ou alterações na pele como vermelhidão, placas, bolhas ou coceira podem ser sinais de alergia. Avise imediatamente seu médico para que ele avalie e decida se deve ou não suspender o tratamento ou mudar a medicação, evite parar de tomar um medicamento por conta própria.

5. Mantenha seus remédios SEMPRE longe das crianças e animais.

6. Procure tomar as cápsulas e comprimidos com água. Cerca de 200 ml de água (um copo), é uma boa quantidade. O uso do leite ou suco de frutas não é recomendável, pois podem se combinar com as moléculas do remédio e dificultar sua absorção, como também podem competir com o princípio ativo na absorção e acabar por dificultar e/ou atrasar a absorção.

7. Como Medir a Quantidade de Medicamento Líquido na Hora de Tomar:

  • Copo-Medida: utilizado para medir medicamentos líquidos, em geral xaropes e soluções orais.

    - Lave e seque o copo-medida antes e depois do uso.
    - Encher o copo-medida com o medicamento até atingir a dose prescrita.

  • Seringa Dosadora: utilizada para medir medicamentos líquidos, em geral soluções orais.

    - Lave e seque a seringa dosadora antes e depois do uso.

  • Quando o frasco do medicamento possuir batoque ¿ a pecinha que funciona como uma tampa interna do frasco do medicamento para encaixar a seringa dosadora.

    - Coloque o batoque na tampa do frasco do medicamento.
    - Utilize a tampa externa do frasco do medicamento para fechar novamente e agite bem se houver a informação na bula ou no frasco para agitar antes do uso 
    - Retire a tampa externa, encaixe a seringa dosadora no buraco do batoque (tampa interna), vire o frasco de cabeça para baixo e puxe o êmbolo até a marca correspondente à dosagem necessária.
  • Uso de Colher: o aconselhável é utilizar as colheres e frascos de medida que vêm junto com os medicamentos em suas caixas.

8. Lembre-se, o uso de medicamentos é parte de um tratamento, que deve ser iniciado após o diagnóstico ser feito. O diagnóstico depende de uma anamnese completa e exame físico adequado. Evite tomar medicamentos por conta própria ou por indicação de outras pessoas, amigos, vizinhos e parentes, mesmo que elas digam ter apresentado sintomas ou sinais semelhantes aos seus. Doenças diferentes podem ter sintomas ou sinais parecidos ou até iguais, e você poderá usar um medicamento que poderá prejudicar ainda mais a sua saúde.

9. Cuidado, acreditar no ditado que diz “se é natural, não faz mal” ou “se bem não faz, mal também não” pode ser perigoso, pois as plantas possuem várias substâncias que agem no corpo, promovendo ações que também podem ser tóxicas. Fitoterápicos e homeopáticos também são medicamentos. Os fitoterápicos são obtidos exclusivamente de plantas medicinais. Já os homeopáticos são derivados de plantas, animais, minerais, de substâncias biológicas ou sintéticas e são utilizados conforme os princípios da Homeopatia.

10. Use o medicamento somente durante o tempo recomendado, não interrompendo e nem prolongando o seu uso sem a devida orientação.