Voltar

Pai de coração conta como a chegada das gêmeas Beatriz e Eduarda transformou seus dias

Pai de coração conta como a chegada das gêmeas Beatriz e Eduarda transformou seus dias

“Escolhi ser pai delas, amá-las e participar de suas vidas com o melhor de mim”, conta Stefano

Pai de coração conta como a chegada das gêmeas Beatriz e Eduarda transformou seus dias

“Escolhi ser pai delas, amá-las e participar de suas vidas com o melhor de mim”, conta Stefano

2 Agosto 2021

Uma brincadeira de criança e uma situação inusitada foram a porta de entrada para uma história de muita cumplicidade e amor. Com certeza 2012 foi um ano memorável para Stefano Vieira Salim, que não esperava que nos próximos anos duas garotinhas, as gêmeas Beatriz e Eduarda, hoje com 22 anos, seriam o seu equilíbrio na vida.   

 

A época que entrou para história do supervisor de atendimento hospitalar no Hospital Unimed Campo Grande é lembrada com riqueza de detalhes, como se fosse ontem e ainda é motivo de risadas.   

 

“A mãe delas e eu, a Andri, éramos apenas amigos e estávamos fazendo cartazes para Festa Julina da empresa. De repente escuto uma voz: “oi, amigo da mamãe, pode vir aqui no quarto, por favor?”. Quando entrei no quarto elas estavam brincando e a Eduarda ficou presa embaixo da cama, precisando de ajuda para sair. Elas pediram para eu não contar para a mãe, senão ela ficaria brava. Resumindo, ajudei as meninas e fui contar essa história para Andri apenas dois anos depois, quando estávamos todos juntos”.  

 

O início dessa história foi divertido e Stefano garante que isso permanece até os dias de hoje, revelando, inclusive, que juntar-se às meninas é ter três crianças dentro de casa. “Somos parceiros e meu jeito brincalhão unido ao delas gera boas risadas, parecemos três crianças, damos muito trabalho para Andri. Isso acaba refletindo em muita parceria e amizade”.   

 

Teté, apelido de infância e como, por vezes, Stefano é carinhosamente chamado pelas gêmeas, conta que ser reconhecido como pai torna tudo mais especial.   

 

“Acredito que tudo na vida é direcionado conforme nosso destino, mas o livre arbítrio junto com nossas escolhas vão moldando nosso destino. Meu coração me diz que elas são minhas filhas, sinto que preciso fazer parte da vida delas e ajudá-las a se tornarem pessoas do bem, honestas e o mais felizes possível. A principal diferença é que se eu fosse pai biológico delas seria o destino às trazendo para minha vida, mas como disse, existe o livre arbítrio e como meu coração sabia que elas fariam parte de minha vida, escolhi ser pai delas, amá-las e participar de suas vidas com o melhor de mim. Acredito que esse seja o real sentimento entre o pai e um filho”, relata.     

 

Sobre o Dia dos Pais, Stefano confidencia que não precisa de presente algum, apenas sentir dentro do coração que está fazendo a coisa certa. “Que sou um bom pai, que sou um bom exemplo. Todo Dia dos Pais, com as atitudes delas, sinto isso, o que torna tudo muito especial”, completa.   

 

O pai em dose dupla finaliza dizendo que a entrada das meninas em sua vida mudou tudo. Ele explica: “antes me preocupava em manter as contas em dia, melhorar profissionalmente, guardar dinheiro, ter um bom carro, casa e ter lazer sempre que possível. Hoje minha prioridade é a segurança da minha família, conforto, que elas estejam sempre felizes. Isso é suficiente para mim. O sentimento de felicidade é muito maior que o de antes”.

Fonte: Comunicação Unimed Campo Grande