Voltar

Atletas de projeto social com apoio da cooperativa se destacam de judô

Quando a sociedade se torna solidária, os resultados vêm em jovens educados, conscientes de seu papel e sua própria capacidade. E como juventude é tempo de força e vigor, o esporte é o caminho certo! Nesta trilha, a Unimed Metropolitana do Agreste mantém ações de responsabilidade social com apoio a projetos como o do Instituto Andrade, que trabalha com crianças e adolescentes na prática do judô, na cidade de Arapiraca. E esta parceria da iniciativa privada com o terceiro setor, fez com que eles utilizassem do melhor potencial de cada um, para conquistarem o maior número de medalhas na primeira etapa do Campeonato Alagoano de Judô 2018.

Como resultado da primeira etapa evento esportivo, realizado no último dia 8, em Maceió, os alunos atletas do instituto conquistaram 16 medalhas de ouro, 9 de pratas e 13 de bronze. “O maior número de medalhas entre clubes, inclusive ouro”, comemora Clebeson Andrade, professor e dirigente da instituição. Entre os campeões, Grazielly Santos levou ouro na categoria “Sub 13 – Super Pesado” (+60kg) e Davi Santos no “Sub 11 – Pesado” ( -52kg). Vibraram!

Ele diz que as crianças e adolescentes, com idades entre 6 e 16 anos de idade, meninos e meninas, Iniciam as atividades no projeto “Andrade iniciação”. Como requisito, deve ser estudante de escola pública. No local, recebem o material para treinamento, o kimono. A partir daí, cada um vai buscar se desenvolver seu caminho de atleta.

“Para nós, todos devem estar na escola e procuramosfazer acompanhamento do rendimento escolar, para que entendam, que ficar no judô precisam ser bons alunos na escola. Judô é disciplina”, assegura o professor. Para ele, o apoio da iniciativa privada é fundamental à continuidade dos projetos que desenvolve.

“A Unimed Metropolitana do Agreste junto, com outros patrocinadores, são pilares desse trabalho que realizamos. Sem esse apoio nada disso estava acontecendo. Tenho a certeza que todos estão satisfeitos com o resultado do trabalho social e do competitivo”, ressalta.

No instituto, os jovens atletas que se destacam, acima dos 10 anos de idade e após um ano de iniciação, avançam em “categoria” e passam ao projeto “Andrade rendimento”. Os treinamentos passam a ser em horários específicos das primeiras turmas e as aulas são são direcionadas à participação em competições, como aconteceu neste último Alagoano de Judô. Em um nível mais elevado, há ainda o “Andrade Formando Campeões”, este formado pelos atletas mais preparados para treinamentos e disputas com competidores nacionais. A entidade existe desde 2002 e iniciou à execução dos projetos no formato atual em 2014.

“Esses atletas têm acompanhamento gratuito de médicos , ortopedista, nutricionista, fisioterapeuta, preparador físico, dentista, além da preparação técnica profissionais especializados da modalidade.

Na preparação física, há ainda musculação e funcional. As atividades escolares são divididas com com os treinos específicos”, acrescenta Clebeson.

Ele destaca que a parceria entre iniciativa privada e terceiro setor permite esses benefícios seu custos para os jovens praticantes do judô, mas que é preciso sempre se manter ativo à busca de apoios e condições ao funcionamento da entidade. Com isso, no próximo dia 22 de abril, o instituto promove a 2ª Feijoada dos Judocas, em busca de recursos para custear 18 atletas classificados para o Campeonato Brasileiro Regional, na cidade de João Pessoa, na Paraíba. Contribuições também podem ser feitas via conta bancária. Mais informações e contato com a entidade, pelo e-mail: instituto_andrade@hotmail.com.

 

      

 

       

 

        

 

        

 


Marcelo Amorim